Satélite

(SATÉLITE) A segunda-feira (20) começa novas pancadas de chuva no Rio Grande do Sul e em pontos da faixa leste de Santa Catarina, com intensidade que varia de moderada a forte nas regiões sul, Campanha e litoral gaúcha, assim como no centro leste de SC. Ressalta-se que ontem os temporais ocorreram pelo estado gaúcho e catarinense, causando rajadas de vento (de mais de 50km/h inclusive em Porto Alegre), raios e queda de granizo. Além disso, os maiores acumulados de chuva se concentraram na faixa nordeste e litoral norte do RS, com mais de 50mm em 24 horas. Tudo isso se deve à um cavado em superfície (que é uma baixa pressão relativa e mais alongada e que não se fecha), além disso, ela está dando origem, aos poucos, a um ciclone extratropical hoje na costa do RS, e que ficará mais definida a partir da tarde de hoje. Além disso, há um corredor de umidade que vem da Amazônia e as fortes correntes de jato (que são ventos intensos nos altos níveis da atmosfera. Também há pancadas de chuva, com raios e ventos, sobre o Amazonas, Pará e o Amapá. E essas precipitações ocorrem por conta do calor, da alta umidade do ar e mais de instabilidades tropicais. Destaca-se também que nas últimas 24 horas foram 35mm de chuva em Belém(PA), o que representa 27,3% da sua média. Já na maior parte do Brasil, desde o norte do Maranhão até o centro oeste do Paraná, assim como grande parte das Regiões Nordeste, Norte, Sudeste e Centro-Oeste, o tempo é firme, e com céu aberto. (CHUVA EM 24 HORAS) Maiores acumulados de chuva em 24 horas, contados às 08h41, pelo cemaden: Belém,PA:35mm, 27,3% da climatologia de setembro (128,2mm) Porto Alegre, RS:19mm Maquiné,RS:64mm,36,5% da climatologia de setembro (159,0mm) Três Forquilhas,RS:57mm Itati,RS:55mm Morrinhos do Sul,RS:55mm Pelotas,RS:44mm Presidente Figueiredo,AM:41mm Canguçu,RS:38mm Terra de Areia,RS:38mm Capão do Leão,RS:36mm (CHUVA EM 24 HORAS) Maiores acumulados de chuva em 24 horas, contados às 08h, pelo inmet: Torres, RS:45mm (NÉVOA ÚMIDA HOJE EM CURITIBA-PR)Manhã de segunda-feira (20) com tempo firme em todo o PR. Aliás o céu está praticamente aberto na maior parte do estado, com exceção do leste do PR, onde há algumas nuvens e até névoa úmida. Ressalta-se que no aeroporto em São José dos Pinhais chegou a registrar névoa úmida durante a madrugada, o que deixou visibilidade horizontal de 4000 metros. Além isso, em Curitiba, pelo aeroporto de Bacacheri, teve névoa úmida entre às 07 e 08 horas, o que deixou a visibilidade horizontal entre 3000 e 4000 metros. Destaca-se que nas últimas 24 horas choveu em pontos do leste e do sudeste e sudoeste do PR, com acumulados entre 19 e 2mm, por conta de um cavado nos níveis baixos da atmosfera sobre o sul do País, pegando mais o RS e SC (e trazendo temporais mais fortes nesses dois últimos estados, com granizo e rajadas de vento), além da umidade que vem da Amazônia e da circulação dos ventos em altitude. #----------------------------------------- - GRANIZO NO DOMINGO (19) NO SUL DO PAÍS (SC E RS) E EM SÃO JOSÉ DOS AUSENTES(RS) O GRANIZO ERA DO TAMANHO DE UM OVO (GRANIZO NO SUL DO PAÍS) No domingo (19) teve granizo à tarde em Lages(SC) e em Curitibanos(SC), em São José dos Ausentes (RS) a queda de granizo, por volta das 15h45min, causou diversos prejuízos, com a queda do granizo do tamanho de um ovo, e pode ter prejudicado cultivos (Com os estragos o feriado farroupilha foi cancelado para os servidores nesse município), também teve granizo em Bom Jesus(RS), Torres(RS) e em Tapes(RS). No final do domingo (19) também teve queda de granizo em Viamão(RS), Guaíba(RS), Porto Alegre (RS), Gravataí(RS), Maquiné(RS) e Glorinha(RS). Com as chuvas com granizo em Timbé do Sul(SC) e Morro Grande (SC), no domingo (19), moradores já relatam perdas nas lavouras de milho e de fumo. Além de granizo em Balneário Gaivota (SC) no final do dia de ontem. Na noite do domingo (19/9), a Defesa Civil do Estado do RS já distribuiu 4.800 metros quadrados de lonas para os moradores de São José dos Ausentes, em decorrência do granizo que atingiu o município. Em Bom Jesus, também na Serra foram entregues 1.200 metros de lonas. Como o granizo se forma: As gotas de água que vem da superfície da terra e de rios que se elevam quando o ar está mais quente e se chocam umas com as outras, aumentando assim seu tamanho e formando assim a nuvem. Ou seja, essas nuvens se formam em locais com temperaturas elevadas e com alta umidade. Ao chegar aos 5 km de altitude, onde as temperaturas estão muito abaixo do 0 grau, as gotas viram gelo. Geralmente as nuvens que provocam queda de granizo são chamadas de Cumulonimbus (CB) e chegam aos 18 km de altitude. Mas, esse granizo só consegue cair se tiver um tamanho grande e for pesado, vencendo a força da corrente de ar quente que mantém o gelo dentro da nuvem. Salienta-se que as pedras de gelo que se formam com tamanhos bem maiores que o comum são provocadas pelas correntes de ar (que sobem para nuvem) bem mais fortes que o normal, e consequentemente rápidas. Por outro lado, quando as nuvens de tempestades que provocam temporais e com queda granizo se deslocam muito lentamente, os granizos se acumulam em muita quantidade parecendo um acúmulo de neve. Vale lembrar que dentro da nuvem há turbulência dos ventos, onde as gotas super-resfriadas, gelos e cristais de gelo percorrem dentro da nuvem, e se transformam. Pois na faixa das nuvens com temperaturas abaixo dos -40°C há só granizo, entre -40°C e 0°C há água líquida super-resfriada e gelo, mistura delas, até neve. E abaixo dos 0°C é água líquida. Aliás, na faixa da nuvem com temperaturas entre -40° e 0°C, isso entre 3 à 8km de altura, pode ter neve e graupel. E quando o graupel (o "graupel" é um pequeno grânulo de gelo criado quando gotas de água super-resfriadas cobrem um floco de neve), que são partículas de gelo que crescem por acréscimo de gotículas super-resfriadas (podem se tornar granizo). Assim, dependendo da turbulência dos ventos que ocorrem dentro de uma nuvem cumulonimbus, as partículas de graupel podem fazer muitas viagens através da região de gotículas super-resfriadas da nuvem. Além disso, têm outros 2 fatores: A la niña e a primavera que ajudam no aumento da frequência de granizo pelo país. 1) Uma é a la niña que está voltando nesta primavera meteorológica de 2021, que já começa no início de setembro. Ou seja, a Lã Niña é um resfriamento da água na faixa equatorial do Oceano Pacífico, que também esfria a atmosfera em todo o globo. Uma atmosfera mais fria significa que as nuvens de tempestade acabam gerando mais gelo que o normal. E quando este gelo se desprende das nuvens, a atmosfera mais fria que o normal faz com que este gelo não derreta na queda. 2) Vale lembrar também que estamos na primavera meteorológica (que já começa em setembro como um todo) e é uma estação de transição entre o inverno seco e frio e o verão quente e úmido. Assim, é normal termos períodos secos característicos do Inverno, e outros períodos muito úmidos, característicos do Verão. E o frio não acontece com tanta frequência. A temperatura entra em gradativa elevação, e as massas polares são de menor intensidade. Assim, nesse período as pancadas de fins de tardes são mais frequentes pelo país, devido ao aumento do calor e da umidade, que podem causar temporais, acompanhados por rajadas de vento e queda de granizo. Ou seja, neste momento, no Hemisfério Sul está na estação da primavera, que é onde os níveis de congelamento nas nuvens são muito mais baixos, do que durante o verão, permitindo assim que o granizo alcance mais facilmente o solo. Ou seja, o nível mais baixo de congelamento das nuvens na tempestade significa que as pedras de granizo têm uma distância menor para percorrer antes de chegar ao solo, reduzindo a chance de que derretam quando caem em ar mais quente em níveis mais baixos na atmosfera. Embora a primavera tenha a maior chance de chuvas de granizo ao longo do ano, o outono traz um pico secundário, mas menor nas tempestades de granizo. Ou seja, no início do Outono, devido a alta atmosfera esfriada e mais calor e umidade na superfície. Vale lembrar que oficialmente, o início da primavera: 22 de setembro às 16h21min. #------------------------------------------------------------------------------------ (REDEMOINHO ONTEM NA REGIÃO DE CAMPINAS) Na Anhanguera, vindo de Ribeirão pra Campinas, no estado de SP, teve um redemoinho na tarde de domingo. Redemoinho ou mais popularmente chamado de "Dust Devil, geralmente, ocorre em dias bastante quentes, sol forte (sem nuvens) e baixa umidade. Os redemoinhos são formados pelo levantamento do ar, que provocam ventos na forma de um espiral ou de um funil. Vale ressaltar que esse fenômeno provoca ventos de até 137km/h (com danos similares a escala Fujita 0 de tornados) e sua formação também pode ser influenciada pelo fluxo dos ventos em obstáculos, como árvores (como mostra a figura, fonte USP). Os Dust devils representam uma grande ameaça se os objetos ou pessoas forem pegos em sua corrente ascendente. Os diâmetros variam de 3 à 30 metros e sua altura média é de cerca de 200 metros, mas alguns já chegaram a mais de 1 km de altura. Há situações que ele se forma no solo próximo de rios e se desloca ganhando ao mesmo tempo força sobre as águas de rios e lagos. Ou seja, o redemoinho se forma a partir das partículas de água quente que se levanta ao redor das partículas que estão frias, e os ventos perpendiculares ajudam a rotacionar a coluna de ar. Essa coluna começa a se deslocar no sentido dos ventos horizontais, que faz com que esse redemoinho fique mais fino e diminua seu diâmetro, mas ao mesmo tempo o movimento giratório dela se intensifica. Há casos, que esse fenômeno começa no solo quente e caminhe para o rio, como o que aconteceu na na Grécia em 2019. https://www.facebook.com/groups/forecastweather/permalink/1326839957471532/ (CUIABÁ-MT) Pela estação automática do INMET: Cuiabá (MT) registrou no domingo (19) a tarde mais SECA de 2021, quando fez 10%. Vale salientar que no ano passado foi mais seco, com 7% no dia 13/09/2020, aliás foi o mais seco desde seus registros, que começou em 2002. (BRASÍLIA-DF) Pela estação automática do INMET: Brasília (DF) registrou no domingo (19) a tarde mais seca de 2021, quando fez 11%. No ano passado teve dia mais seco, com 10% no dia 04/10/2020. Aliás, nos dias 07/08/2002, 04/09/2010, 06 e 07/09/2011 também registraram 10%, e foram, junto com o dia 04/10/2020, os mais secos desde 2000, ano que começou a coletar os dados nessa estação. (CAMPO GRANDE-MS) Pelos dados da estação automática do INMET: Campo Grande(MS) registrou uma temperatura máxima de 38,8°C na tarde de domingo (19/09), sendo a tarde mais quente do ano, superando o recorde anterior que havia sido registrado nos dias 18/09 e 07/09, que era 38°C na mesma estação. Ressalta-se que no ano passado foi mais quente, de 41°C no dia 05/10/2020 (a mais alta da sua história, desde 1975). A média climatológica de temperatura máxima de setembro é de 30,6°C, assim ontem ficou 8,2°C acima da sua média. Agora analisando somente o inverno, ontem foi o dia mais quente para um inverno dos últimos 2 anos, desde 2019 quando registrou 39,8°C no dia 15/09/2019. Ressalta-se que o dia mais quente no inverno de 2020 foi em 10/09/2020, com 38,7. Porém, em setembro do ano passado, no geral, o dia mais quente foi em 30/09/2020, com 40,8°C. (GOIÂNIA-GO) Pela estação convencional do INMET: A maior temperatura máxima de 2021 era de 39,5°C no dia 16/09/2021. Já no domingo (19) fez 38,9°C. Ressalta-se que os 39,5°C já tinha sido a tarde mais quente em um inverno da sua história, desde a década de 30 (desde 1938). Pela estação automática do INMET, Goiânia (GO) registrou no domingo (19) a maior temperatura máxima de 2021, quando registrou 38,9°C. Antes era os 38,8°C do dia 11/09. No ano passado: Fonte: estação convencional/oficial do INMET: A maior temperatura máxima foi de 41,2°C no dia 07/10/2020 (recorde histórico, desde 1937); Já a maior máxima de setembro de 2020 foi de 39,9°C no dia 30/09/2020. Fonte: estação automática do INMET:A maior temperatura máxima de 2020 foi de 40,7°C no dia 09/10/2020; Já a maior máxima de setembro de 2020 foi de 39,8°C no dia 29/09/2020. A média climatológica de setembro em Goiânia (GO) é de 33,0°C, assim ontem ficou 5,9°C acima da sua média, pela estação automática e convencional ou oficial do INMET. (PORTO ALEGRE-RS CHUVA) Pela estação convencional do INMET: Choveu 166,0mm em Porto Alegre(RS) nesses 19 dias de setembro, e isso já representa 17,3% acima da sua média do mês (141,5mm). Tendo assim, o maior acumulado de chuva dos últimos 3 meses, antes disso, o maior foi os 205,2mm registrados em junho de 2021. Em setembro de 2020 choveu bastante também, 224,5mm, já em setembro de 2019 foram apenas 91,9mm. Já na estação do CEMADEN, em Cristal, que fica em Porto Alegre(RS), choveu 202,8mm, ficando 43,3% acima da sua média. (CUIABÁ-MT) Pela estação convencional do INMET: Cuiabá(MT) registrou 55,2mm neste mês, e já está com 7,6% acima da sua média (51,3mm). Diferente dos 6,8mm registrados em todo o mês de setembro de 2020. Além disso, este mês já está tendo o maior volume de chuva para um mês de SETEMBRO dos últimos 3 anos, desde os 66,2mm em setembro de 2018. (SÃO LUIS-MA) Pela estação convencional do INMET: São Luis(MA) registrou apenas 15,2mm neste mês, e já está sendo mais do que o dobro da sua média de setembro (6,4mm). Mesmo sendo um volume baixo, esses 15,2mm já é o maior volume de chuva para um mês de setembro em 27 anos, desde 1994, quando registrou 16,2mm. Já o maior volume de chuva da sua história para um mês de setembro é de 90,6mm em 1939. Vale lembrar que em setembro de 2020, assim como em setembro de 1983, 1987, 1988, 1970, 1993, 1995, 1997, 1998, 1981, 2005, 2002, 2009, 1933, 2011, 1929, 2015, 2017, 1936 e 1976 não registraram uma gota d'água nesse mês. (VITÓRIA-ES) Pela estação convencional do INMET: Vitória(ES) registrou apenas 71,7mm neste mês, ficando 5,6% acima da sua média de setembro (67,9mm). Mesmo assim, em setembro de 2020 choveu mais, 143,7mm, e, por enquanto, está tendo o menor volume de chuva para um mês de setembro, desde 2018, quando registrou apenas 39,7mm. #-------------------------------BALANÇO INVERNO NAS CAPITAIS-------------------------------------------- (RIO DE JANEIRO-RJ) Até o momento, as estações de Jacarepaguá e de Forte de Copacabana tiveram neste inverno os menores volumes de chuva dos últimos 4 anos para um mês de inverno: Pela estação automática do INMET: No Rio de Janeiro(RJ), na estação da Vila Militar, choveu 74mm de chuva neste inverno, que começou em 21 de junho e vai até às 16h21 do dia 22 de setembro. Esse teve o menor volume de chuva dos últimos 9 anos para um mês de inverno. Desde o inverno de 2012, com 71mm. Pela estação automática do INMET: No Rio de Janeiro(RJ), na estação de Marambaia, choveu 141,4mm de chuva neste inverno, que começou em 21 de junho e vai até às 16h21 do dia 22 de setembro. Esse teve o menor volume de chuva dos últimos 3 anos para um mês de inverno. Desde o inverno de 2018, com 128,4mm. Pela estação automática do INMET: No Rio de Janeiro(RJ), na estação de Jacarepaguá, choveu 90,2mm de chuva neste inverno, que começou em 21 de junho e vai até às 16h21 do dia 22 de setembro. Esse teve o menor volume de chuva dos últimos 4 anos para um mês de inverno. Desde o inverno de 2017, com 79,8mm. Pela estação automática do INMET: No Rio de Janeiro(RJ), na estação de Forte de Copacabana, choveu 109,4mm de chuva neste inverno, que começou em 21 de junho e vai até às 16h21 do dia 22 de setembro. Esse teve o menor volume de chuva dos últimos 4 anos para um mês de inverno. Desde o inverno de 2017, com 93,4mm. Pela estação convencional do INMET: No Rio de Janeiro(RJ), na estação do Alto da Boa Vista, choveu 319,3mm de chuva neste inverno, que começou em 21 de junho e vai até às 16h21 do dia 22 de setembro. Esse teve o menor volume de chuva dos últimos 5 anos para um mês de inverno. Desde o inverno de 2016, com 297,6mm. (BELÉM-PA) Pela estação convencional do INMET: Neste inverno, a capital que mais choveu foi Belém (PA), com 667,1mm. Além de ter o maior acumulado de chuva para uma estação de inverno dos últimos 19 anos, quando registrou mais de 700 no inverno de 2002. (BOA VISTA-RR) Pela estação convencional do INMET: Neste inverno Boa Vista (RR) precipitou 633,6mm. Foi a terceira capital que mais choveu neste inverno de 2021. Porém, no inverno do ano passado foram 731,9mm de chuva. (PORTO ALEGRE-RS) Pela estação convencional do INMET: Neste inverno Porto Alegre (RS) choveu 469,2mm. Porém, no inverno do ano passado (2020) foram 677,9mm de chuva. Já no inverno de 2019 foram 355,2mm. (CURITIBA-PR) Pela estação automática do INMET: Neste inverno Curitiba (PR) choveu 157,6mm. Porém, no inverno do ano passado (2020) foram 206,4mm de chuva. Assim, este inverno, por enquanto, está sendo o com o menor volume dos últimos 3 anos, desde o inverno de 2018, quando registrou 115,8mm, nessa estação. (RECIFE-PE) Pela estação automática do INMET: Neste inverno, Recife(PE) choveu 663,6mm. E está sendo o inverno mais chuvoso dos últimos 2 anos, desde 2019, quando choveu 785,0mm. Além disso, é a segunda capital que mais choveu neste inverno de 2021. (PALMAS-TO) Pela estação convencional do INMET: Neste inverno Palmas(TO) choveu 3,0mm. Mesmo assim, está sendo o inverno com o maior volume de chuva dos últimos 3 anos, desde 2018 quando acumulou 7mm. Vale lembrar que nos invernos de 2020 e 2019 não caiu uma gota d'água sequer. (BRASÍLIA-DF) Pela estação convencional do INMET: Neste inverno Brasília (DF) choveu apenas 2,8mm. E está tendo o maior acumulado de chuva dos últimos 3 anos, desde os 59,9mm do inverno de 2018, pois nos inverno de 2020 e 2019 não caiu uma gota d'água sequer. Porém, pela estação automática do INMET, choveu mais de 25mm no inverno de 2020. (BELO HORIZONTE-MG) Pela estação convencional do INMET: Neste inverno Belo Horizonte (MG) choveu apenas 8,2mm. E está sendo o inverno mais seco dos últimos 2 anos, desde 2019, quando choveu apenas 0,1mm. #--------------------------------------------------------------------------------------------------------- #------------------------------------------------------------------------------------------------------- - POR ENQUANTO ESTE INVERNO DE 2021 ESTÁ SENDO MAIS SECO DOS ÚLTIMOS 4 ANOS NA CIDADE DE SÃO PAULO (FONTE:INMET) - ONTEM A CIDADE DE SÃO PAULO TEVE MÁXIMAS ENTRE 24 E 33 GRAUS -NO MIRANTE DE SANTANA (NA ZONA NORTE DA CAPITAL DE SP) REGISTROU 32,4 GRAUS A MAIOR MÁXIMA DESDE O DIA 14 DE SETEMBRO DESTE ANO (SÃO PAULO SATÉLITE) A cidade de São Paulo amanhece com tempo firme e temperaturas entre 16 e 19°C. Já na tarde de ontem, as temperaturas oscilavam entre 24 e 33°C. Sendo a mais quente em Perus, com 33,5°C. No Mirante de Santana, também na zona norte da cidade de SP, fez 32,4°C de máxima no domingo (19), e foi a mais alta temperatura desde o dia 14 de setembro, quando registrou 33°C. Dados das temperaturas maximas de ontem na cidade de SP 33,5°C às15 horas:Perus(PMSP-PR-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 33,1°C às14 horas:Se-Anhembi(PMSP-SE-02)SaoPaulo-SP(cgesp) 33,0°C às14 horas:Pirituba(PMSP-PJ-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 32,9°C às14 horas:Itaquera(PMSP-IQ-02)SaoPaulo-SP(cgesp) 32,8°C às13 horas:Tremembe(PMSP-JT-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 32,4°C às15 horas:São Paulo-Mirante-SP(inmet) 32,3°C às14 horas:FreguesiadoO(PMSP-FO-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 32,0°C às15 horas:Butanta(PMSP-BT-02)SaoPaulo-SP(cgesp) 32,0°C às14 horas:SaoMiguelPaulista(PMSP-MP-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 31,5°C às14 horas:Mooca(PMSP-MO-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 31,5°C às14 horas:VilaMaria-VilaGuilherme(PMSP-MG-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 31,4°C às14 horas:ItaimPaulista(PMSP-IT-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 31,4°C às13 horas:Santana-Tucuruvi-OMDE(PMSP-ST-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 31,0°C às14 horas:(SBMT)AeroportoampodeMarte(SaoPaulo-SP)(redemet) 30,9°C às14 horas:Lapa(PMSP-LA-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 30,8°C às14 horas:Penha-Rincao(PMSP-PE-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 30,7°C às13 horas:Se-GE(PMSP-SE-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 30,4°C às14 horas:VilaMariana(PMSP-VM-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 30,4°C às14 horas:SantoAmaro(PMSP-SA-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 30,3°C às14 horas:VilaPrudente-(PMSP-VP-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 30,2°C às13 horas:Aricanduva-VilaFormosa(PMSP-AF-02)SaoPaulo-SP(cgesp) 29,6°C às14 horas:CampoLimpo(PMSP-L-03)SaoPaulo-SP(cgesp) 29,5°C às14 horas:Jabaquara(PMSP-JA-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 29,3°C às14 horas:SaoMateus(PMSP-SM-05)SaoPaulo-SP(cgesp) 29,0°C às14 horas:Ipiranga(PMSP-IP-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 29,0°C às14 horas:(SBSP)Aeroportodeongonhas-SaoPaulo(SaoPaulo-SP)(redemet) 28,1°C às13 horas:apeladoSocorro(PMSP-S-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 26,2°C às14 horas:MBoiMirim(PMSP-MB-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 25,1°C às13 horas:EstacaoMeteorologicaMarsilacSaoPaulo-SP(cgesp) 24,6°C às13 horas:Parelheiros-Barragem(PMSP-PA-01)SaoPaulo-SP(cgesp) 24,4°C às14 horas:São Paulo-Interlagos-SP(inmet) O inverno começou no dia 21 de junho e vai até 22 de setembro, aliás a primavera vai começar às 16h21 do dia 22/09. Segundo os boletins do próprio INMET nos anos de 2000, 2019, 2018 e 2016 e os dados obtidos das estações automáticas e convencionais dos anos de 2021 e 2017 (2021) Pela estação automática do INMET: Na cidade de SP (no Mirante de Santana) o inverno deste ano de 2021, até o momento e por dados preliminares, apresentou um total de precipitação de 117,0mm, que é 78,0% da sua média, que é de 150 mm. Foram 88mm entre 21 de junho até 31 de agosto, e 29,0mm entre 1 e início de 19 de setembro. Pela estação convencional do INMET: Na cidade de SP (no Mirante de Santana) o inverno deste ano de 2021, até o momento, apresentou um total de precipitação de 110,9 mm, que é 79,9% da sua média, que é de 150 mm. (2020) Pela estação automática do INMET: No inverno do ano passado, em 2020, a cidade de São Paulo, pela estação do Mirante de Santana (na zona norte, apresentou um total de precipitação de 198,2 mm, valor um pouco acima da média, que é de cerca de 150 mm. (2019) Pela estação convencional do INMET: Na cidade de SP (no Mirante de Santana) o inverno de 2019 apresentou um total de precipitação de 230,3 mm, valor acima da média, que é de 150 mm. (2018) Pela estação convencional do INMET: Na cidade de SP (no Mirante de Santana) o inverno de 2018 apresentou um total de precipitação de 130,7 mm, valor que representa exatamente a mediana do período, mas ligeiramente abaixo da média de 150 mm. (2017) Pela estação convencional do INMET: Na cidade de SP (no Mirante de Santana) o inverno de 2017 apresentou um total de precipitação de 62,3mm, valor que representa um valor bem abaixo da sua média, ou seja equivale 41,5% da sua média de 150 mm. 21/09/2017 01h24 a 22/09/2017 17h02, choveu 60,5mm em agosto/17, 0,8mm em julho/17, 1mm entre 21 e 30 de junho/17, e 0mm entre 01 e 22 de setembro/2021 (2016) Pela estação convencional do INMET: Na cidade de SP (no Mirante de Santana): O total de precipitação (em mm) do inverno de 2016 foi de 106,7 mm e ficou bem abaixo da média histórica do inverno. Abaixo os invernos com os menores volumes de chuva na cidade de SP: ESTATÍSTICAS 1961-2016 Tabela : Classificação dos invernos com menores volumes de CHUVA Classificação ?Inverno?: 21/06 a 22/09 Precipitação (mm) 1 12,6mm (1963) 2 31,0mm (1961) 3 50,5mm (1988) 4 52,7mm (1994) 5 62,3mm(2017) 6 69,7mm (1981) 7 77,5mm (1969) 8 78,1mm (2003) 18 106,7mm (2016) Máximo: 475,1 mm (2009) Mínimo: 12,6 mm (1963) #----------------------------------------------------------------- (RAJADAS DE VENTO ONTEM) Maiores rajadas de vento ontem no Brasil: 64,4km/h às18 horas:Encruzilhada do Sul-RS(inmet) 59,4km/h às17 horas:Bom Jardim da Serra-Morro da Igreja-SC(inmet) 57,4km/h às 19h07: Porto Alegre-RS(aeroporto/redemet) 55,1km/h às20 horas:Porto Alegre-RS(inmet) 54,0km/h às17 horas:Inacio Martins-PR(inmet) 52,9km/h às19 horas:Piranhas-AL(inmet) 50,8km/h às24 horas:Ararangua-SC(inmet) 50,4km/h às24 horas:Torres-RS(inmet) 50,0km/h às15 horas:Laguna Carapa-MS(inmet) (RAJADAS DE VENTO HOJE) Maiores rajadas de vento hoje no Brasil, até às 07h30: 76,3km/h às 7 horas:Bom Jardim da Serra-Morro da Igreja-SC(inmet) 56,9km/h à1 hora:Torres-RS(inmet) 56,5km/h às2 horas:Canguçu-RS(inmet) 52,2km/h à 1 hora:Urupema - Morro de Urupema-SC(ciram/epagri) 50,0km/h às 05 horas: Belo Horizonte(MG)-Cercadinho (inmet) (MÁXIMAS) Maiores temperaturas máximas de ontem no Brasil: 42,3°C às16 horas:ÁGUA CLARA-MS(inmet) 42,1°C às15 horas:CORUMBÁ-MS(inmet) 41,7°C às16 horas:CUIABÁ-MT(inmet) 41,2°C às15 horas:Santa Salete-SP(ciiagro) 41,1°C às14 horas:VALPARAISO-SP(inmet) 41,0°C às14 horas:Sapezal-MS(redemet) 40,9°C às15 horas:RIO BRILHANTE-MS(inmet) 40,6°C às16 horas:Dirce Reis-SP(ciiagro) 40,5°C às16 horas:Cardoso-SP(ciiagro) 40,4°C às14 horas:ARAGUACU-TO(inmet) 40,3°C às16 horas:JARDIM-MS(inmet) 40,3°C às16 horas:RIBAS DO RIOPARDO-MS(inmet) 40,2°C às15 horas:GOIAS-GO(inmet) 40,2°C às14 horas:PIUM-TO(inmet) 40,1°C às16 horas:Colombia-SP(ciiagro) 40,1°C às16 horas:PORANGATU-GO(inmet) 40,1°C às14 horas:BaixoIguacu-PR(simepar) 40,1°C às15 horas:PEIXE-TO(inmet) 40,1°C às16 horas:SAOMIGUELDOARAGUAIA-GO(inmet) 40,0°C às15 horas:VarzeaGrande-MT(redemet) 40,0°C às13 horas:BarradoGarcas-MT(redemet) 40,0°C às15 horas:Bonito-MS(redemet) 40,0°C às14 horas:ANGELICA-MS(inmet) 40,0°C às14 horas:FORMOSO DO ARAGUAIA-TO(inmet) (CHUVA) Pelas estações do INMET, entre às 21 horas de ontem e às 08 horas de hoje: Vitória-ES: 1,6mm Florianópolis (São José)-SC: 5,6mm Porto Alegre-RS: 1,6mm (CHUVA DE ONTEM) Pelas estações do INMET, entre às 21 horas de antes de ontem e de ontem: Rio Branco-AC: 1,6mm Belém-PA: 4,4mm Porto Alegre-RS: 16,8mm (VENTO) Pelo INMET, ontem: Porto Alegre-RS: 55,1 km/h Porto Alegre-RS(aeroporto/redemet): 57,4km/h às 19h07 Hoje pelas estações automáticas do INMET: Não foram registradas rajadas de vento significativas (acima de 50km/h) nas últimas horas. (TEMPERATURAS MÍNIMAS) Pelo INMET, nesta manhã: Rio Branco-AC: 21,1°C, mesma sensação Belém-PA: 23,1°C, mesma sensação Palmas-TO: 23°C, mesma sensação Manaus-AM: 23,6°C, mesma sensação São Luis-MA: 25,2°C, mesma sensação Teresina-PI: 23,7°C, mesma sensação Fortaleza-CE: 24,7°C, mesma sensação Natal-RN: 25,5°C, mesma sensação João Pessoa-PB: 23,1°C, mesma sensação Recife-PE: 20,9°C, mesma sensação Maceió-AL: 20,8°C, mesma sensação Aracaju-SE: 24,7°C, mesma sensação Salvador-BA: 22,8°C, mesma sensação Brasília-DF: 17,2°C, com sensação de 16,0°C Goiânia-GO: 17,2°C, mesma sensação Cuiabá-MT: 26°C, mesma sensação Campo Grande-MS: 21,3°C, mesma sensação Belo Horizonte (Pampulha)-MG: 22,1°C, mesma sensação Vitória-ES: 22°C, mesma sensação Rio de Janeiro (Forte Copacabana)-RJ: 20,7°C, mesma sensação São Paulo (Mirante de Santana)-SP: 18,3°C, com sensação de 16,7°C Curitiba-PR: 16,8°C, com sensação de 15,5°C Florianópolis (São José)-SC: 20,3°C, mesma sensação Porto Alegre-RS: 19,2°C, com sensação de 18,3°C (MÁXIMAS DE ONTEM) Pelas estações automáticas do INMET: Macapá-AP: 30,2°C Belém-PA: 33,2°C Palmas-TO: 39,3°C Manaus-AM: 33°C São Luis-MA: 31,1°C Teresina-PI: 38,1°C Fortaleza-CE: 31,5°C Natal-RN: 29,5°C João Pessoa-PB: 30,3°C Recife-PE: 30,7°C Maceió-AL: 30,4°C Aracaju-SE: 28,8°C Salvador-BA: 28,9°C Brasília-DF: 33,7°C Goiânia-GO: 38,9°C Cuiabá-MT: 41,7°C Campo Grande-MS: 38,8°C Belo Horizonte (Pampulha)-MG: 35,6°C Vitória-ES: 30,1°C Rio de Janeiro (Forte Copacabana)-RJ: 27,7°C São Paulo (Mirante de Santana)-SP: 32,4°C Curitiba-PR: 30,4°C Florianópolis (São José)-SC: 25,3°C Porto Alegre-RS: 23,3°C (UMIDADE RELATIVA) Pelas estações do INMET, ontem: Palmas-TO: 15% (Estado de Alerta) Teresina-PI: 24% (Estado de Atenção) Brasília-DF: 11% (Estado de Emergência) Goiânia-GO: 10% (Estado de Emergência) Cuiabá-MT: 10% (Estado de Emergência) Campo Grande-MS: 13% (Estado de Alerta) Belo Horizonte (Pampulha)-MG: 17% (Estado de Alerta) (NEVOEIRO) Até as 08:46:22, de acordo com os Aeroportos: Nenhum dos principais aeroportos das capitais brasileiras registraram nevoeiro nas últimas horas. (FENÔMENOS DIVERSOS NOS AEROPORTOS) Nos Aeroportos, até às 08:46:22: Nenhum dos principais aeroportos das capitais brasileiras registraram fenômenos especiais nas últimas horas.