Jornal do Tempo | Notícias

Anos de El Niño têm aumento no número de quedas de raios

Brasil é o campeão em número de raios pelo mundo; saiba como se formam.

07/03/2019 10:55:00

Por: Redação Somar

Se num verão normal a ocorrência de tempestades preocupa no Brasil, em anos de El Niño a atenção precisa ser redobrada, pois o número da formação de nuvens profundas aumenta nestes períodos. E por que isso acontece?

O combustível para formação de uma grande nuvem de tempestade como a Cumulonimbus é a combinação do calor e da umidade. Em verões com El Niño (mesmo fraco, como o que estamos vivendo em 2019), toda a camada de ar da troposfera fica mais quente do que o normal.

Logo, há condições propícias para formar mais nuvens profundas nestes períodos. Nestas nuvens se vêem ao mesmo tempo chuva forte, granizo, trovoadas e rajadas de vento.

Raios no Brasil
O Brasil é um País tropical e uma das principais características deste tipo de clima é a formação frequente de tempestades. Suas dimensões continentais fazem com que o Brasil seja um dos países de maior ocorrência de raios no mundo: estudos realizados pelo Grupo de Descargas Atmosféricas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (ELAT/INPE) indicam que cerca de 50 milhões de raios atinjam o solo brasileiro a cada ano.

A ocorrência de raios tem aumentado significativamente sobre grandes áreas urbanas devido ao fenômeno conhecido como “ilha de calor” – aquecimento provocado pela urbanização. Segundo o ELAT/INPE, a incidência de descargas atmosféricas só tem aumentado nos últimos anos, e a tendência é de que ocorra um acréscimo ainda maior nas próximas décadas, face ao aquecimento do planeta.

Como se formam os raios?
A descarga atmosférica ou raio é um fenômeno natural que consiste numa corrente elétrica muito rápida e muito intensa, formada por causa do movimento das partículas geralmente numa nuvem profunda de tempestade.

O rápido movimento de elétrons de um lugar para outro na nuvem faz com que se acumulem cargas elétricas de mesmo valor na nuvem, geralmente por causa dos violentos ventos ascendentes e descendentes dentro da nuvem.

Quando a carga no solo, na atmosfera ou em outra nuvem é contrária, é formado um campo elétrico. Quando o campo elétrico é suficiente para ionizar os átomos do ar e acelerar os elétrons, nasce uma corrente elétrica que consegue vencer a resistência do ar ao seu redor, gerando energia em forma de calor, luz (relâmpago) e som (trovão).

Os tipos de raios
Existem basicamente dois tipos de raios: intranuvem e nuvem-solo. Raios intranuvem são normalmente visíveis apenas como um clarão no céu e correspondem a cerca de dois terços do total de descargas atmosféricas na nuvem. Já o nuvem-solo é o raio que chega efetivamente à superfície terrestre. De formas mais raras, existem raios solo-nuvem e nuvem-atmosfera.

Cuidados
- Não permaneça na rua ou em locais abertos durante tempestades, principalmente se estiver segurando objetos metálicos que atraem a descarga. Evite aproximação com linhas telefônicas, tomadas, janelas e estruturas metálicas.

- Durante uma tempestade, não mexa no celular enquanto ele estiver carregando. Quando a rede elétrica é atingida por um raio, ela de propaga pela fiação, atingindo o que estiver no fim da tomada. O mesmo principio vale para o telefone com fio, chuveiro e torneira elétrica.

- Evite campos abertos como áreas agrícolas, praias, estacionamentos e campos de futebol. Locais assim costumam ser alvos dos raios, por isso é importante sair imediatamente destes locais quando começar uma tempestade. A mesma regra vale para cordilheiras, topos de morros e prédios.

- Desligue da tomada eletrodomésticos e eletroeletrônicos, evitando que eles queimem devido uma tensão na rede elétrica.

Últimas notícias

Buscar notícias