Jornal do Tempo | Notícias

Previsão de chuva volumosa no TO e interior do Nordeste

Entre o fim de novembro e início de dezembro as instabilidades ganham força e o acumulado de chuva deve ultrapassar os 200 milímetros na região.

23/11/2018 16:51:00

Por: Redação Somar

Desde que novembro começou, a chuva tem se distribuído de forma regular na maior parte das regiões brasileiras. O mês está terminando com chuva acima da média em partes da região Sul, Sudeste e Centro-Oeste, exceto grande parte do Nordeste que ainda não superou a média climatológica.

Esse padrão começa a mudar a partir da próxima semana: Já no domingo (25) a chuva avança mas entre o oeste da Bahia, sul do Piauí e Maranhão e a tendência é de que a chuva continue persistindo na região, até pelo menos o início do mês de dezembro.

Os acumulados de chuva entre o Tocantins, oeste da Bahia, Piauí, Maranhão, sul do Pará, norte de Goiás e Mato Grosso devem ultrapassar os 200 milímetros nos primeiros dias de dezembro.

A chuva favorece a manutenção da umidade do solo em áreas produtoras de uma importante fronteira agrícola do país, o chamado MATOPIBA (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia). Por outro lado, o mal tempo deve atrapalhar as atividades de campo na região.

O que vai provocar essa chuva?
Algumas forçantes meteorológicas serão a causa dessa chuva. Dentre elas, um sistema bastante comum nesta época do ano conhecido como Alta da Bolívia, o qual é responsável por redistribuir a umidade e calor da região Norte para as demais áreas do país.

Além disso, essa chuva também pode ser atribuída a uma área de convergência de umidade organizada desde a região Norte ao Atlântico Sul. Ainda não se pode afirmar que a combinação dessas forçantes é um fenômeno clássico conhecido como Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), também bastante típico desta época do ano, mas tudo indica que se essas instabilidades persistirem o sistema poderá ser nomeado nos próximos dias.

Calor perde intensidade
O calorão vai perder intensidade no Centro Norte brasileiro. Aos poucos, com a persistência da chuva, o calor vai perdendo intensidade.

Esse padrão de chuva com redução nas temperaturas é popularmente conhecido como “invernada”.

Até quando dura essa chuva?
Os modelos de previsão indicam que o padrão de chuva persistente no Centro Norte se estende até o final do primeiro decêndio de dezembro, ou seja, por volta do dia 10/12.

Depois disso, as instabilidades diminuem, as pancadas de chuva se tornam mais isoladas e o sol volta a predominar na região.

A partir daí as temperaturas também voltam a subir.

Últimas notícias

Buscar notícias