Jornal do Tempo | Notícias

Fim de semana de baixas temperaturas mínimas no Sul do país

Depois da gangorra de temperaturas ao longo da semana, a massa de ar frio finalmente consegue predominar na região Sul

20/07/2018 12:23:00

Por: Redação Somar

O mês de julho foi marcado por uma grande oscilação de temperatura no Rio Grande do Sul devido a alternância entre frente fria, que trouxe frio, com massa de ar quente.

Porém, a passagem de uma nova frente fria pelo estado nesta sexta-feira (20) vai fazer o lado das temperaturas mais baixas pesarem mais nessa gangorra. Já em Santa Catarina e Paraná, não houve tanta oscilação devido aos ventos do alto da atmosfera que impediram o avanço destes sistemas.

Chuva congelada e geada
Os modelos atmosféricos ainda indicam chance de chuva congelada entre esta noite a madrugada do sábado (21). As chances diminuíram um pouco em relação ao começo da semana, mas cidades da região de Canguçu e Encruzilhada do Sul (na Serra do Sudeste, no leste gaúcho) e também na serra catarinense ainda têm condições para o fenômeno que são: temperaturas próximo a 0°C e umidade na atmosfera.

Lembrando que a chuva congelada ocorre quando a chuva acontece na forma líquida, porém a água está super resfriada, ou seja, temperatura próxima ao congelamento, mas devido a algumas propriedades químicas, ela se mantém em estado líquido. Quando a água super resfriada toca em alguma superfície muito fria, ela congela. E é justamente esse o perigo do fenômeno: as pessoas acham que é uma chuva normal, mas nas ruas e nas calçadas, está formando uma fina camada de gelo que pode causar alguns acidentes.

Já no oeste gaúcho, as temperaturas baixas e as poucas nuvens no céu devido a um sistema de alta pressão, dão a possibilidade de geada. A chance é maior na fronteira oeste do estado, nas cidades que fazem fronteira com o Uruguai e a Argentina.

Massa de ar frio que acompanha a frente fria
Uma frente fria sempre traz com ela uma massa de ar frio e, após a sua passagem, há um sistema de alta pressão que inibe a formação de nuvens de chuva. Neste caso, uma massa de ar polar – que é uma massa de ar frio mais intensa – vai derrubar as temperaturas em todo o Rio Grande do Sul.

Agora com os ventos do alto atmosfera localizados mais para norte, as frentes frias conseguem avançam um pouco mais pelo Brasil, levando chuva e frio para outros estados.

Semana foi marcada por temporais
Apesar de algumas cidades gaúchas terem sofrido com alagamentos nos últimos dias, o desvio de chuva em comparação a média climatológica aponta outra coisa. Grande parte da região Sul já registrou acumulados acima dos 200mm, porém, em relação a climatologia, praticamente toda a região está com chuva abaixo do normal.

Em 3 dias, choveu metade da média climatológica do mês em Porto Alegre. Foram 70mm segundo o INMET, enquanto o normal para julho é de 141,3mm. No total, o acumulado do mês é de 126mm, já bem próximo da média climatológica. Ano passado foi bem diferente: choveu apenas em dois dias, totalizando 17mm. Já, em 2016, junho também teve muita chuva na primeira metade do mês e o total passou da média, chegando a 149,2mm.

Pela previsão até o fim deste mês algumas cidades podem ter chuva acima ou dentro da média para o mês de julho.

Últimas notícias

Buscar notícias