Jornal do Tempo | Notícias

Tempo seco, quente e ar poluído em São Paulo

Baixa umidade relativa do ar e alta concentração de poluentes tomam conta da capital paulista e grande parte da região Sudeste

16/07/2018 13:35:00

Por: Redação Somar

Uma massa de ar seco predomina sobre a maior parte do Brasil e com isso o estado de São Paulo passa por um longo período de estiagem. No interior do estado, os números impressionam: em Casa Branca não chove há pelo menos 134 dias, 115 dias em Piracicaba, 110 dias em São Carlos, 107 dias em Barueri e 105 dias em Sorocaba.

O número de cidades do estado de São Paulo que registram uma estiagem prolongada não para por aí. Na capital paulista, não há chuva significativa, ou seja, com acumulados acima de 10mm, há pelo menos 90 dias.

Com a falta da chuva, o índice de umidade relativa do ar fica baixo, e consequentemente, a qualidade do ar piora, aumentando a concentração de poluentes.

No início desta segunda-feira (16), a umidade relativa do ar estava com índice de 21% no Mirante de Santana, zona norte da capital paulista. E Segundo a CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), pelo menos 9 estações amanheceram com a qualidade do ar ruim.

Pelas estações do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), ontem, 15 de julho, 211 cidades no Brasil apresentaram umidade do ar iguais ou abaixo de 30% (índice já considerado como crítico).

É comum o tempo seco?
Durante esta época do ano é comum a maior concentração de poluição na atmosfera por conta da estiagem. A estação de inverno é normalmente mais seca, e sem a chuva, a umidade relativa do ar fica baixa, diminuindo também a qualidade do ar. No entanto, o que está sendo observado é a persistência desse período sem chuva na maior parte do Sudeste, Centro-Oeste e também em áreas da faixa norte do país.

O tempo firme está sendo influenciado exatamente pela massa de ar seco que se instalou devido a um bloqueio atmosférico, sistema responsável por inibir o avanço de frentes frias em direção ao Sudeste. Sem o avanço dos sistemas frontais, as famosas massa de ar frio também não avançam com frequência, e é por isso que na capital paulista o predomínio tem sido de tempo seco, quente e ar poluído.

Previsão para os próximos dias
Para a melhora da qualidade do ar é preciso o retorno da chuva e a notícia não é boa. No decorrer desta semana, a massa de ar seco predomina inibindo a formação de nuvens de chuva. Portanto, o tempo segue firme, sem chance para pancadas de chuva.

Já na próxima semana, a partir do dia 25 de julho, a tendência é do retorno da chuva sobre a capital, sul e leste de São Paulo, mas ainda de forma muito isolada e sem grandes acumulados. Além disso, deve ocorrer de forma irregular e passageira.

Essa chuva não será suficiente para elevar os índices de umidade relativa do ar de forma significativa, fazendo com que os valores ainda fiquem abaixo do ideal para a saúde da população.

Últimas notícias

Buscar notícias