Jornal do Tempo | Notícias

Tempestade tropical se forma no Mar do Caribe

Tempestade tropical Alberto na Península de Yucatán dá início à temporada de furacões no Oceano Atlântico, que pode ter até nove tempestades

25/05/2018 16:02:00

Por: Redação Somar

Uma tempestade tropical se formou nesta sexta-feira (25) no Mar do Caribe, praticamente ao mesmo tempo em que o Centro Nacional de Furacões americano (NHC na siga em inglês) divulgou nota sobre como deve se comportar a próxima temporada de tempestades no Oceano Atlântico. Uma tempestade tropical é o segundo de três estágios para formação de um furacão. A tormenta recebeu o nome de Alberto e mantém 63 km/h.

A tormenta no momento se encontra próximo à costa da Península de Yucatán, no México, e de acordo com as simulações atmosféricas do NHC, o sistema se deslocará para a costa americana no início da semana que vem.

Há previsão de chuvas fortes desde o oeste de Cuba até a Flórida nos próximos dias, com ventos fortes na casa dos 100 km/h e ondas mais altas na costa do Golfo do México nos Estados Unidos. Por enquanto, Alberto não terá força o suficiente para se tornar furacão.

Temporada de furacões do Atlântico
O NHC divulgou nota com as projeções para a temporada de furacões do Oceano Atlântico deste ano, que se estende até novembro, de cinco até nove sistemas. Destes, pelo menos quatro estariam aptos a serem mais severos. O Centro divulgou que há 35% de probabilidades de a temporada ser acima do normal, 40% perto do normal e 25% de estar abaixo.

O ano passado foi marcado pela intensa atividade de tempestades no Oceano Atlântico e pela passagem de dois furacões devastadores pela região: Irma e Maria, com danos que podem ter passado de 200 bilhões de dólares.

Ciclone tropical no Oceano Índico
Enquanto isso, no Oceano Índico está atuando o Ciclone Tropical Mekunu. O sistema está classificado com a categoria 2 na escala Saffir-Simpson de classificação de furacões, que vai de 1 a 5, com ventos de 162 km/h. O sistema está prestes a entrar pelo sul e Omã, em direção ao sudoeste da Arábia Saudita. A cidade de Salalah de Omã, que abriga mais de 200 mil habitantes, vai ser a mais afetada com previsão de mais de 150mm de chuva. Outras cidades da fronteira entre Omã, Iêmen e Arábia Saudita devem ser afetadas até o domingo (27).

O sistema, em sua passagem pela ilha de Socotra, no Iêmen, deixou pelo menos 17 desaparecidos e mais de 200 famílias desabrigadas na costa norte devido a inundações e ventos fortes. Esta é a segunda tormenta que ocorre na região: a primeira foi a tempestade tropical Sagar, que se formou no dia 17 de maio no mesmo local e teve rajadas de até 100 km/h, causando 31 fatalidades e um estrago de 80 milhões de dólares em áreas do Iêmen, Somália, Djibuti, Etiópia e Eritreia.

Últimas notícias

Buscar notícias