Jornal do Tempo | Notícias

O clima das cidades russas podem prejudicar o Brasil na Copa 2018?

Na primeira fase, a seleção brasileira passa pelas cidades de Rostov, Moscou e São Petersburgo

08/12/2017 16:51:00

Por: Wagner Nascimento

A anfitriã da Copa de 2018, a Rússia, sediou o sorteio dos grupos no início do mês.

A Rússia, que está no grupo A, enfrenta a Arábia Saudita no jogo de abertura do dia 14 de junho. Já o Brasil foi sorteado para o grupo E, junto com a Suíça, Costa Rica e Sérvia e tem a estreia em campo marcada para o dia 17 de junho, em Rostov, contra os suíços.

Além de Rostov, na partida inaugural, a equipe do Brasil passa ainda pelas cidades de Moscou e São Petersburgo na primeira fase e fica hospedada em Sochi, no sudoeste russo. E como será o clima nesses lugares? O país sede costuma ser associado com temperaturas muito baixas, mas isso não é necessariamente válido para toda a Rússia.

Em Sochi, por exemplo, os jogadores podem esperar por um clima quente e temperado. Neste ano, no período entre 15 de junho e 15 de julho, quando ocorrerá o Mundial em 2018, a maior máxima registrada na cidade foi de 34ºC. “A temperatura é mais elevada entre julho e agosto e a quantidade de chuva não é excessiva nesta época”, afirma Celso Oliveira, meteorologista da Somar Meteorologia.


Já Rostov, situada no sul do país, pode ser caracterizada por uma cidade fria e chuvosa. A temperatura média anual é de 10ºC e em julho, o mês mais quente do ano, a média é de 23,6ºC. Na segunda maior cidade russa, São Peterbursgo, a pluviosidade é significativa ao longo do ano, com um volume de 636mm. E o frio supera Rostov, com uma média de 17,8ºC em seu mês mais quente, que também é julho.

O último jogo da primeira fase ocorre em Moscou contra a Sériva, na Arena Spartak. A capital russa não fica muito atrás das outras. Com um clima frio e temperado, a cidade tem uma média de 18,4ºC em julho, mês mais quente e também mais chuvoso, com uma média de chuva em torno dos 90mm.

Últimas notícias

Buscar notícias