NOTÍCIAS

VÍDEOS

Satélite

SATÉLITE) Terça-feira (13) começou com chuva forte, rajadas de vento e diversas descargas elétricas entre a Argentina, o Uruguai e o extremo oeste gaúcho, como a região em que fica o município de Uruguaiana. Isso tudo acontece por conta da formação de uma nova frente fria. Já na maior parte do Brasil, o que predomina é um tempo firme e com algumas variações de nuvens no céu em uma pequena parcelo do país. (CHUVAS NAS CAPITAIS) Pelos dados Oficiais do INMET, Vitória, no Espírito Santo, é a capital no Brasil que mais registrou chuva neste mês atual, foram um total de 253,1mm. Além de estar 15,1% acima da sua média climatológica (219,9mm), já apresenta o novembro mais chuvoso dos últimos 5 anos, ou melhor, desde o ano de 2013 quando foram 351,1mm precipitados. Logo atrás, vem outras capitais, Palmas, com 196,1mm, Brasília com 168,8mm e Belém com 114,5mm. Brasília é a unica que ainda não ultrapassou o volume de chuva de novembro do ano passado, 2017, quando teve 321,4mm. Já a capital do Pará, tem o novembro mais chuvoso dos últimos 5 anos, ou seja desde 2013 quando se observou 210,7mm (passou os 103,3mm de 017, 103,5mm de 2016, 98,3mm de 2015 e 41,3mm de 2014). (TEMPERATURAS NAS CAPITAIS) Segundo os dados oficiais do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia): Das 27 capitais no Brasil, 4 delas tiveram temperaturas abaixo dos 30°C tarde de segunda-feira (12). Como Belo Horizonte e Vitória, com 29°C, Florianópolis com 28,6°C e Brasília com 28,4°C. Já nas demais, calorão igual ou superior aos 30°C. Aliás, a maior temperatura aconteceu em Teresina, capital do Piauí, com 38,5°C. Ressalta-se que, pelas estação automáticas do mesmo instituto, 145 municípios no Brasil tiveram temperaturas acima dos 34°C. Destas 7 foram em capitais, como Teresina, mencionado acima, Manaus com 37,3°C, Boa Vista com 36,6°C, Rio de Janeiro com 34,4°C, e Belém, Campo Grande e Porto Alegre, todas, com 34,1°C. (TEMPERATURA NO RIO GRANDE DO SUL) Segundo os dados do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), 27 cidades gaúchas tiveram calorão de mais de 30°C na segunda-feira (12). A maior temperatura do Rio Grande do Sul foi registrada no município de São Borja, com 35,5°C. Nesta cidade, este dia teve a maior temperatura da primavera, e também desde o verão. A última tarde com temperatura tão elevada ocorreu no dia 18 de março, com 36,8°C. (DESTAQUE PALMAS) Entre às 13 e às 15 horas da segunda-feira chegou a chover forte na Capital do Tocantins, foram um total de 31,8mm acumulados, acompanhados por rajadas de vento de 64,8km/h. Salienta-se que este mês já precipitou 218,8mm em Palmas, o que se aproxima bastante da sua climatologia de novembro (243,6mm). Tudo de acordo com a estação automática do INMET. Já pela estação oficial, do mesmo instituto, registrou neste mês um total de 196,1mm. Analisando pelos mais de 200mm registrados neste mês, Palmas já tem o novembro mais chuvoso dos últimos 5 anos, ou seja desde 2013 quando acumulou 281mm. (DESTAQUE DF) Na noite de segunda-feira (12) teve pancadas de chuva em Brasília, DF, foram 36,4mm no total, isso corresponde a apenas 16% da sua média climatológica de novembro (226,9mm). (CHUVA NA CIDADE DO RIO) Neste mês de novembro 7 bairros da cidade do Rio de Janeiro registraram mais de 100mm, de acordo com as estações da Prefeitura. A maior delas aconteceu no Alto da Boa Vista, com 181mm, sendo o mais chuvoso dos últimos 2 anos, ou seja desde 2016. Aliás, os demais bairros apressentaram a mesma situação, foram os mais volumoso desde 2016. Fonte: http://alertario.rio.rj.gov.br/acumulados-mensais/ http://alertario.rio.rj.gov.br/tabela-de-dados/ (DESTAQUE EM PORTO ALEGRE) Pelo dado oficial do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), Porto Alegre teve uma máxima de 34,1°C nesta segunda (12). Essa temperatura se igualou ao da tarde de domingo (11), assim estes dois últimos dias, tiveram as maiores temperaturas desta primavera, estação que começou no dia 22 de setembro. Antes dessas, a última tarde com temperaturas tão quentes ocorreu no dia 18 de março, com máximas de 36,4°C. Ressalta-se que o calorão desses últimos dias na capital gaúcha está 6,7°C acima da sua média climatológica de novembro (de 1981-2010), 27,4 °C. Mesmo com os valores dos termômetros altos, as máximas de domingo e segunda não conseguiram ultrapassar a maior máxima de novembro do ano passado, 2017, que aconteceu no dia 15 com um valor de 35,6°C. Com relação as precipitações: Após Porto Alegre registrar 91mm no mês passado e ser o outubro com o menor volume de água em 8 anos. Neste começo de novembro foram um total de apenas 20,7mm de chuva, isso é está bem abaixo da sua média climatológica, que é de 110,9mm. (DESTAQUE CURITIBA) Curitiba teve um máxima de 30,3°C nesta segunda-feira (12), pela estação oficial do INMET. Essa é a mais alta temperatura desde o dia 23 de setembro, quando registrou 30,5°C. Sendo assim, a segunda tarde mais quente desta primavera (lembrando que esta estação começou no dia 22 de setembro). Além disso, o calorão de ontem ficou 5,3°C acima da sua média climatológica de novembro (25,0°C). Salienta-se que a maior temperatura deste ano (2018) aconteceu no dia 18 março, quando registrou 31,9°C. Aliás, também foi observado 31,9°C no dia 16 de novembro de 2017, considerado a temperatura mais alta do mês de novembro do ano passado. Já pela estação automática do INMET, a máxima de segunda-feira também foi de 30,3°C, a mais alta desde o dia 23 de setembro, com 30,3°C. Lembrando que a temperatura mais alta do ano nesta estação foi de 31°C nos dias 24/01 e 18/03. Com relação as precipitações; Após o mês passado acumular 266,9mm, e ser o outubro mais chuvoso em 10 anos na capital do Paraná. Neste mês de novembro choveu apenas 20,8mm, bem abaixo dos 124,4mm, sua média climatológica. Isso tudo de acordo com os dados oficiais do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia). (SISTEMA CANTAREIRA) Esses 12 primeiros dias de novembro o volume do cantareira oscilou entre 34,2 e 34,4%. Foram apenas 33,2mm de chuva neste mês, isso é muito baixo se comparado a sua climatologia (de 161,6mm). Destaca-se que no dia 08 de outubro houve o registro de 33,5% no nível do sistema, esse é o menor volume armazenado no Sistema Cantareira desde o meio de março de 2016 (ou seja desde o dia 17/03/2016 quando relatou 33,4% de volume). É importante lembrar mais uma vez, que quando o volume está abaixo de 40%, pela Sabesp isso caracteriza nível de alerta, onde a captação de água passa de 31 mil litros por segundo para 21 mil litros por segundo. Se o volume passar dos 40%, o reservatório entra na faixa de atenção, sendo que a situação só se torna normalizada quando o nível chegar aos 60%. Aliás, o volume não fica acima dos 40% desde o dia 27 de julho deste ano, quando o nível do reservatório era de 40,2%. Salienta-se que a reserva técnica começou a ser prejudicada no começo de abril de 2013, quando o reservatório foi esvaziando lentamente, entretanto o volume útil se esgotou no início de julho de 2014 e saiu do volume morto nos primeiros dias de janeiro de 2016, segundo estudos da USP e UNESP. fonte: http://site.sabesp.com.br/site/uploads/file/boletim/2018/ http://mananciais.sabesp.com.br/Home http://cantareira.github.io/ (CHUVA DE NITERÓI) Pela estação do INMET, referente a quinta e sexta-feira, temos acumulado de 71mm de chuva em Niterói, um pouco mais que a metade da média climatológica (138,6mm). Se contabilizar a chuva do mês inteiro, já soma 96mm, representando 69% da média. Também há as informações do CEMADEN, de estações em Niterói. Estes acumulados são a soma dos dias 7, 8 e 9 (de quarta a sexta-feira), sendo os dias que apresentaram os maiores acumulados, responsáveis pelo encharcamento do solo: Visconde de Itaboraí: 99,0mm João Caetano: 81,4mm Morro do Castro: 84,2mm Charitas 80,0mm Maria Paula: 63,7mm Badu: 61,8mm (DANO DAS CHUVAS DOS ÚLTIMOS DIAS NO ES) Ao todo, 327 pessoas ainda não conseguiram voltar para suas casas e estão desalojadas ou desabrigadas em diversos municípios. Somente em Vila Velha, mais de 140 pessoas estão nesta situação. O número de desalojados, que é o termo usado quando a família é alojada em casas de amigos e parentes, é de 279 em todo o Espírito Santo. Deste total, 110 estão em Vila Velha, 56 em Cariacica, 31 em Vitória e em João Neiva, 21 pessoas. Já os desabrigados somam 48 pessoas, sendo 31 em Vila Velha, 12 em Vitória e 5 em Aracruz. São considerados desabrigados aquelas pessoas que tiveram que sair de casa e não tem para onde ir, sendo necessária a intervenção do município ou do Estado. (Fonte: Folha Vitoria) (CHUVA DE SEGUNDA-FEIRA NO INTERIOR DE SP) No final da tarde de segunda-feira (12) áreas de instabilidade, associadas ao calor e a umidade, causaram pancadas de chuva no leste de São Paulo. Os maiores acumulados foram de 28,8mm em Cunha, no Vale do Paraíba, e de 22,5mm em Campo Limpo Paulista, próximo de Jundiaí. Houve alguns raios isolados nesse período. (A MAIOR CHUVA NO BRASIL EM 24HORAS, contados até às 02h34) Pela estação do INMET, choveu bastante no oeste da Bahia e no leste do Pará entre o final da segunda e este começo de terça (13), com 68,2mm em Correntina-BA (isso equivale a 41% da sua média histórica novembro, de 164,7mm) e 75mm em Rondon do Pará-PA (isso equivale a 65% da sua média histórica novembro, de 114,6mm) . Pela estação do CEMADEN, em 24 horas contados às 02h34, foram 98mm em Lençóis, BA, 74% da sua média histórica (132,3mm); 85mm em Ibiassucê, BA, 57% da sua média histórica (148,4mm); e 81mm em Jacundá, PA, 63% da sua média histórica (128,1mm). A maioria dessa precipitação aconteceu no início do dia e final da tarde. (DESTAQUE SP) Na segunda-feira as máximas em São Paulo alcançou 30,0°C segundo os dados oficiais do INMET, porém no decorrer da tarde a entrada da brisa marítima derrubou as temperaturas e aumentou bastante a nebulosidade, em apenas 2h a sensação térmica caiu 10°C segundo informações do Aeroporto de Congonhas. (MAIORES ACUMULADOS) Pelas estações do CEMADEN, nas últimas 24 horas, contados às 8h: Vila Rica, MT: 66mm Nova Gama, GO: 36mm Brasília, DF: 19mm Jacundá, PA: 43mm São Felix do Coribe, BA: 46mm Quaraí: 46mm Uruguaiana: 42mm (CHUVA) Pelas estações do INMET, entre às 21 horas de ontem até o momento de hoje: Brasilia, DF:18,6mm Araçuaí, MG:36,8mm Correntina, BA:29,6mm Porto Seguro, BA:24,8mm Goianésia, GO:23,4mm Montes Claros, MG:14,8mm Rio Sono, TO:12mm Peixe, TO:11,2mm Itapetinga, BA:9mm Janaúba, MG:8,8mm Itaobim, MG:7,2mm Vila Velha, ES:7,2mm Eirunepé, AM:7mm Teofilo Otoni, MG:5mm (VENTO) Pelo INMET, ontem: Palmas,TO: 64,8 km/h Hoje pelas estações automáticas do INMET: Tramandaí, RS: 54km/h Mostardas, RS: 66km/h (TEMPERATURAS MÍNIMAS) Pelo INMET, nesta manhã: Belém,PA: 23,5°C, mesma sensação Palmas,TO: 23,9°C, mesma sensação Boa Vista,RR: 26,6°C, com sensação de 26,8°C Manaus,AM: 29,2°C, com sensação de 30,1°C Porto Velho,RO: 24,2°C, mesma sensação São Luis,MA: 25,9°C, com sensação de 27,5°C Teresina,PI: 26,6°C, com sensação de 27,3°C Fortaleza,CE: 26,1°C, com sensação de 27,6°C Natal,RN: 25,8°C, com sensação de 27,1°C João Pessoa,PB: 25,3°C, mesma sensação Recife,PE: 22,3°C, mesma sensação Maceió,AL: 23,5°C, mesma sensação Aracaju,SE: 25,5°C, mesma sensação Salvador,BA: 24,8°C, mesma sensação Brasília,DF: 18,2°C, com sensação de 17,2°C Goiânia,GO: 21,7°C, mesma sensação Cuiabá,MT: 26,5°C, com sensação de 27,5°C Campo Grande,MS: 24,8°C, mesma sensação Belo Horizonte (Pampulha),MG: 19,8°C, com sensação de 19,4°C Vitória,ES: 22,4°C, mesma sensação Rio de Janeiro (Forte Copacabana),RJ: 19,6°C, com sensação de 19,2°C São Paulo (Mirante de Santana),SP: 19,4°C, com sensação de 18,4°C Curitiba,PR: 18,4°C, com sensação de 17,5°C Florianópolis (São José),SC: 22,4°C, mesma sensação Porto Alegre,RS: 21,6°C, mesma sensação (MÁXIMAS DE ONTEM) Pelas estações automáticas do INMET: Belém,PA: 33,6°C Palmas,TO: 32,9°C Boa Vista,RR: 36,6°C Manaus,AM: 37,1°C Porto Velho,RO: 33,8°C São Luis,MA: 32,6°C Teresina,PI: 36,4°C Fortaleza,CE: 32,3°C Natal,RN: 30,6°C João Pessoa,PB: 32,3°C Recife,PE: 31,9°C Maceió,AL: 31,9°C Aracaju,SE: 31,6°C Salvador,BA: 31,2°C Brasília,DF: 28,7°C Goiânia,GO: 32,9°C Cuiabá,MT: 35,7°C Campo Grande,MS: 34,1°C Belo Horizonte (Pampulha),MG: 29,6°C Vitória,ES: 28,5°C Rio de Janeiro (Forte Copacabana),RJ: 26,6°C São Paulo (Mirante de Santana),SP: 30,5°C Curitiba,PR: 30,3°C Florianópolis (São José),SC: 28,6°C Porto Alegre,RS: 34,1°C (TORNADO NA ARGENTINA NA SEGUNDA-FEIRA) Na tarde de segunda-feira (12) houve a formação de um tornado região de Santa Fé, na Argentina, precisamente entre as cidades de El Timbó e Guadalupe Norte. Até agora nenhum dano foi relatado. Esse fenômeno foi provocado pou um sistema de baixa pressão atmosférica na região. O tornado é uma nuvem em forma de funil que toca o solo e cujos os ventos giratórios podem alcançar de 110km/h a 500km/h. Essa intensidade dos ventos são medidas por uma escala chamada Fujita (ou Fujita-Pearson Tornado Intensity Scale), que vai de 0 à 5. Vale salientar que o tornado é o fenômeno mais devastador, possui um pequeno diâmetro (de centenas de metros à 2 km na média, mas já houve casos que já chegou aos 4,2km) e dura pouco, de minutos a meia hora, causando consequentemente danos por onde passa. Ele se forma geralmente em uma nuvem de tempestade chamada de super célula, que surge a partir do encontro de uma massa de ar frio e seca com outra massa de ar quente e úmida. Quando essas massas apresentam ventos com direções opostas começa a ocorrer um torque ou um giro que vai até o chão, ou seja, uma nuvem em forma de funil consegue atingir o chão - conforme já citado anteriormente. Segundo os dados do serviço nacional de meteorologia da Argentina, entre às 9 horas do dia 11 e às 09 horas do dia 12, foram entre 75 e 250mm de chuva entre as regiões de Santa Fé, Concórdia e Córdoba. Fonte: https://twitter.com/marcosobes/status/1062133881418248192 https://twitter.com/marisabeltrame/status/1062110860846530562 https://www.clarin.com/sociedad/tornado-santa-fe_3_aPE0T5FDs.html https://www.lacapital.com.ar/se-produjo-un-tornado-el-norte-santa-fe-n1702618.html https://www.elancasti.com.ar/virales/2018/11/12/un-potente-tornado-azoto-santa-fe-388459.html http://www.datachaco.com/noticias/view/119526 https://twitter.com/MetRAnoticias/status/1062102470611087361 https://www.smn.gob.ar/argentina-ahora (DANOS PLANTAÇÃO NA ARGENTINA)Por conta da chuva forte do final de semana, foram registrados danos nas plantações na zona do Pampa, na Argentina. Como no sudeste de Córdoba, em Buenos Aires, onde o granizo danificou a plantação de milho. Segundo os dados do serviço nacional de meteorologia da Argentina, entre às 9 horas do dia 11 e às 09 horas do dia 12, foram entre 75 e 250mm de chuva entre as regiões de Santa Fé, Concórdia e Córdoba. https://www.smn.gob.ar/argentina-ahora http://www.cpc.ncep.noaa.gov/products/international/cmorph/cmorph_7day_sam_obs.gif (QUEIMADAS NO EUAS) O Camp Fire destruiu mais de 6 mil estruturas, 6453 casas e outras 260 estruturas, sendo a mais destrutiva da história na Califórnia. Ultrapassou o do ano passado, o Fire Tubbs em outubro de 2017, quando 5636 estruturas foram destruídas sobre Napa e Sonoma. Com relação ao número de mortes Camp já tem 29, isso se iguala ao mais mortal de todos, o Griffith park, em outubro de 1933 em Los Angeles. Infelizmente esse número do Camp pode aumentar. Salienta-se que foram 2 pessoas mortas no "Woolsey Fire", em Malibu. (Fonte: Call Fire) http://www.fire.ca.gov/communications/downloads/fact_sheets/Top20_Destruction.pdf https://www.fire.ca.gov/communications/downloads/fact_sheets/Top20_Acres.pdf https://edition.cnn.com/2018/11/12/us/california-wildfires-woolsey-camp-hill-missing/index.html https://watchers.news/2018/11/12/camp-fire-deadliest-and-most-destructive-california/ https://www.wunderground.com/news/science/weather-explainers/news/why-california-wildfires-worse-in-fall