NOTÍCIAS

VÍDEOS

Satélite

(SATÉLITE) Manhã de quinta-feira (22) com nuvens carregadas desde o Norte até o Sudeste do país, influenciadas por áreas de instabilidade no alto da atmosfera e também pela passagem de uma frente fria pela costa entre São Paulo e Rio de Janeiro. Logo nessas primeiras horas do dia, chove forte e com risco para temporais desde o Mato Grosso até o norte do Pará. Mas o destaque nas últimas horas foi a capital fluminense, que em 24 horas acumulou mais de 100mm, causando alagamentos, quedas de árvores e energia. (CAPITAIS DESTAQUES) Abaixo os dados com destaques observados nas capitais pelas estações meteorológicos do INMET e CEMADEN, entre ontem (21) e esta manhã (22): -Segundo os dados da estações meteorológicas, em apenas uma hora (ou seja entre às 21 e 22h) choveu 73,7mm, em Pedra Bonita, na capital do Rio (pela estação do CEMADEN). O maior mesmo foi os 123,2mm em uma hora na Barra no dia 14/02/2018, quando foi considerada a maior deste período desde que se começou a coletar os dados nas estações do alerta Rio, da prefeitura. Além disso, o total de chuva em 24 horas em Pedra Bonita é a maior registrada, nesta manhã no estado do Rio de Janeiro e também do país, com seus 107,7mm, equivalente a quase sua média climatológica de fevereiro, cerca de 81% da média, que é de 130,4mm. Além disso, foi registrada rajada de vento de 65,2km/h às 22 horas na cidade do Rio, segundo a estação de Forte de Copacabana, que é do INMET. E pelo aeroporto de Santa Cruz, no Rio, 64,8km/h às 20 horas. Isso justifica a queda de árvores na capital. Outro grande destaque é que essa chuva veio após o calorão de 35,5°C na capital fluminense, o maior de ontem registrado nas capitais, além de estar entre 7 cidades mais quentes deste dia 21. - São Paulo-SP chegou a registrar chuva no início do dia de ontem (21), com um total de 7,3mm no bairro da Cidade Dutra, na zona sul. Além disso, na tarde deste dia fez calor de 29,8°C, sendo a tarde mais quente em quase duas semanas, ou seja desde o dia 12/02, quando fez 31,4°C. - Macapá, AP registrou apenas 24,3°C de máxima, a menor do ano e desde o final de 2015, quando fez 20,5°C no dia 20/09/15. (*)Considerado o padrão internacional de unificação de dados de chuva, que é das 10 horas do dia anterior até às 10 horas deste dia, estabelecidos pela Organização Mundial de Meteorologia (OMM). (GRANIZO E ALAGAMENTOS NO RJ) Na tarde da quarta-feira (21) uma forte chuva veio acompanhada por queda de granizo, precisamente às 15 horas, em São Pedro da Aldeia, no Rio de Janeiro. Além disso, a rajada de vento chegou aos 59,3km/h às 13h36, lembrando que tudo isso foi observado pelo aeroporto local. Além disso, esse mesmo temporal trouxe transtornos para motoristas e pedestres na região dos Lagos do Rio. Foram cerca de 50 minutos de chuva, o suficiente para deixar pontos de alagamento em Cabo Frio e São Pedro da Aldeia. Veículos tiveram dificuldades para passar pela Rua Camerindo Santos, no Centro de São Pedro. Na Rua Francisco Santos Silva, onde fica o Teatro Municipal, a água chegou a entrar nos quintais das casas. Foram 28 mm de chuva em 30 minutos, de acordo com a Defesa Civil. Segundo o mesmo instituto, havia pontos de alagamento na Nova São Pedro, na RJ-140 (altura de Praia Linda), Porto da Aldeia, Poço Fundo, Rua do Fogo e Balneário. Uma árvore caiu no bairro Estação, na Rua João José dos Santos Jota. Em Cabo Frio, pontos da Avenida Julia Kubitscheck tiveram bolsões de água. (DANOS NA CAPITAL DO RJ) A chuva forte que voltou a cair no Rio de Janeiro no começo da noite de quarta-feira (21) provocou transtornos na cidade. Bairros foram alagados, a energia elétrica foi interrompida em vários pontos, árvores caíram e sirenes foram acionadas em cinco comunidades. No início da madrugada desta quinta (22), havia alagamentos em Copacabana, Botafogo, Urca e Laranjeiras, todos na Zona Sul, e Sepetiba e Jacarepaguá, Zona Oeste. De acordo com a assessoria da Light, teve falta de energia nos bairros Barra da Tijuca e Jacarepaguá, Zona Oeste, e São Conrado, Zona Sul. Na comunidade Dona Marta, em Botafogo, os avisos da sirene pediram para os moradores se dirigirem a locais seguros e pontos de apoio, por causa dos riscos de deslizamentos na área. O Centro de Operações da Prefeitura do Rio (Cor) desligou as sirenes a meia-noite. Elas tocaram em cinco comunidades das zonas Sul e Oeste. Equipes da Defesa Civil continuam realizando vistorias nos locais. No Jardim Botânico, na Zona Sul, as ruas Jardim Botânico e Pacheco Leão ficaram alagadas. Também foi inundada a Avenida Atlântica, em Copacabana. O Cor informou ainda que uma árvore caiu em Copacabana, na Rua Santa Clara. Não há feridos. Foi registrada rajada de vento de até 65,2 km/h na região. (METEORO NA BAHIA) Astrônomos estão estudando o clarão que cruzou os céus da Bahia na noite de terça-feira (20). As imagens foram captadas por câmeras de segurança e por celulares, às 22h30 exato. O clarão foi visto em Salvador e em várias cidades do interior da Bahia. Astrônomos estão estudando isso e acreditam que foi um meteoro, fenômeno causado pela entrada de um corpo na atmosfera. De concreto, só um objeto encontrado a 300 metros de uma casa. A peça foi levada para o Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia. É de metal, tem 20 centímetros por 21 e pesa cerca de três quilos. Os pesquisadores vão fazer outras análises para saber, por exemplo, quais elementos químicos a peça tem. Por enquanto, já sabem que o objeto passou por altas temperaturas e tem marcas de roscas. Não é meteorito, a primeira questão, porque meteorito seria um material natural e esse é um material manufaturado. Se ele tiver realmente chegado junto com esse clarão, com essa explosão que as pessoas viram na terça-feira (20), é que seja algo relacionado com lixo espacial, explica pesquisadores da Universidade Federal da Bahia. (ESTADO DE EMERGÊNCIA NO MS) A região do Pantanal, em Mato Grosso do Sul, está em emergência por causa da chuva. O rio se espalhou pelas ruas de duas cidades pantaneiras: Aquidauana e Anastácio. Uma força-tarefa com mais de 500 pessoas ajudou a retirar as famílias. Aquidauana está completamente ilhada com o rio passando numa das principais ruas. A passadeira de metal foi montada durante a noite pelo exército e eles fazem o controle da travessia. São no máximo 20 pessoas por vez, todos têm de usar colete. O nível do rio já passa de 10,40m. É um recorde, choveu em apenas um dia quase toda a média climatológica do mês inteiro. Ou seja, foram 167,6mm no dia 20, equivalente a 90% da sua média. Ressalta-se também que animais se refugiam no telhado e os que estão nadando são resgatados pelas equipes. Além disso, estão em quatro abrigos 150 pessoas. Em Mato Grosso do Sul 22 cidades estão em situação de emergência e mais de 76 mil pessoas afetadas pelas chuvas. Em Bonito praticamente a metade dos passeios foi interditada na terça-feira (20) por causa da chuva. Ou seja, entre a noite de segunda-feira (19) e manhã de terça-feira (20), alguns pontos de Bonito, no sudoeste de Mato Grosso do Sul, chegaram a registrar 240 milímetros de chuva, segundo dados apurados pela Defesa Civil do município. O aguaceiro, que provocou o transbordamento de córregos e rios, causando inundações, a destruição de pontes e deixando estradas, principalmente na zona rural, intransitáveis, desalojou pelo menos 50 famílias. Em Jardim, a chuva criou trilhas submersas e imagens impressionantes. (DANOS EM MG) Um temporal na noite desta quarta-feira (21) causou diversos estragos em Santa Rita, distrito de Ouro Preto, na região Central de Minas. O córrego Cuiabá transbordou e alagou diversas ruas e a única avenida da região, a José Leandro, onde os motoristas tiveram que abandonar os carros parcialmente submersos. Segundo o Corpo de Bombeiros, a água entrou em vários imóveis, o que causou prejuízos aos moradores e comerciantes e deixou um rastro de lama. Além disso, árvores e muros caíram. Apesar dos danos, ninguém ficou ferido. Segundo moradores, a avenida mais parecia um rio, tamanha a força da correnteza formada no alagamento. Tendo sofá sendo levado pela inundação e uma van que ficou presa no meio da enchente com o motorista e passageiros. (CAPITAL DO RS COM ALAGAMENTOS) Na quarta-feira (21) à tarde teve pela segunda vez consecutiva chuvas fortes em Porto Alegre. Esta causou novos transtornos no trânsito, com um tempo de duração, de cerca de 30 minutos, a avenida Cavalhada, entre as ruas Liberal e Padre Reus, o acúmulo de água bloqueou uma faixa. Outro registro de bloqueio foi na rua Engenheiro Luís Englert com a rua Sarmento Leite, próximo ao Centro. Já as avenidas Princesa Isabel com a Bento Gonçalves também sofreram com alagamentos, mas sem registro de bloqueios. Outro ponto com problemas era a avenida Professor Oscar Pereira, onde caiu um galho que bloqueou as três faixas que complementam a avenida. Na avenida Protásio Alves, no cruzamento com a rua Neuza Goulart Brizola, também teve grande acúmulo de água, mas não teve registro de paralisação. Os bairros com maior precipitação foram Glória, Lomba do Pinheiro e Centro Histórico. (SECA NO CE) De acordo com a Agência Nacional das Águas (ANA), a situação de estiagem no Ceará do mês de janeiro apresentou uma redução de 35% da seca excepcional, com relação com o mesmo mês do ano passado, que era de 88,78%, tendo agora 53,43% de área com esse tipo de seca, todas no sul do estado. Esse tipo de seac se caracteriza com perdas de culturas e/ou pastagens de maneira generalizadas, escassez de água nos reservatórios, córregos e poços de águas, criando assim situações de emergências. (TRANSBORDAMENTOS DE CÓRREGOS NO MT) A forte chuva que caiu na madrugada desta quarta-feira (21) em Guarantã do Norte, a 721 km de Cuiabá, resultou no transbordamento de um córrego e causou alagamentos em diversos bairros daquele município. Famílias tiveram as moradias inundadas e comércios localizados às margens da BR-163 também foram afetados. Tendo em apenas cinco horas caido 130 milímetros de chuva na cidade (DIA MAIS QUENTE EM NOVA YORK -EUA) Em Nova York, pela estação oficial no Central Park, com 24ºC, e em Nova Jersey, como em Newark que marcou 25°C, registraram ontem (21) a manhã (ou o dia) mais quente de fevereiro na cidade até hoje em mais de 130 anos de dados. O último recorde era de 23°C no dia 15 de fevereiro de 1949. (CHUVA) Pelas estações automáticas do INMET, ontem: Macapá, AP:70,4mm Monte Alegre, PA:79,6mm, maior em 24 horas (*) desde o início do ano passado, além disso foram 36% da média climatológica de fevereiro, que é de 219,3mm. Serra dos Carajas, PA:72,8mm Juara, MT:65mm Apiacás, MT:60mm Guarantã, MT:59mm Salinopolis, PA:59mm Buriticupu, MA:54,6mm Valença, RJ:51,6mm Buritís, MG:49mm Paragominas, PA:48,4mm Carlinda, MT:46,6mm Belem, PA:43,6mm Cotriguaçu, MT:42,6mm São Félix do Araguaia, MT:42,2mm Itaituba, PA:41,2mm Xinguara, PA:39,2mm Sorriso, MT:37,8mm Castanhal, PA:34,4mm Novo Repartimento, PA:34,2mm Silvania, GO:33,2mm Soure, PA:33,2mm Coxim, MS:33mm Primavera do Leste, MT:30,8mm Canela, RS:30,2mm (*)Considerado o padrão internacional de unificação de dados de chuva, que é das 10 horas do dia anterior até às 10 horas deste dia, estabelecidos pela Organização Mundial de Meteorologia (OMM). Pelo INMET, entre às 22 horas de ontem e a manhã de hoje: Rio de Janeiro-Forte de Copacabana, RJ:64,6mm Goiânia, GO:53,0mm Formoso do Araguaia, TO:91,0mm Gurupi, TO:75,2mm Florestal-MG:86,4mm Petropolis - Pico do Couto, RJ:53,6mm Silva Jardim, RJ:103,8mm Lagoa da Confusão, TO:49,4mm Dores do Indaia-MG:53,2mm Monte Alegre, PA:44,0mm Cotriguaçu, MT:39,8mm Colinas, MA:37,4mm Saquarema-Sampaio Correia, RJ:38,6mm Rio de Janeiro-Jacarepagua, RJ:35,4mm Edéia, GO:33,2mm Medicilandia, PA:33,2mm Duque de Caxias-Xerem, RJ:32,2mm Buriticupu, MA:31,4mm Registro, SP:25,0mm Pelo CEMADEN, nas últimas 24h: Rio de Janeiro, RJ: 107,7mm Macapá, AP: 92,8mm Goiânia, GO: 76,4mm Aparecida de Goiânia, GO: 97,6mm Nova Friburgo, RJ: 106,3mm Juruti, PA: 26,8mm Silva Jardim, RJ: 89,6mm Anápolis, GO: 84,0mm (NEVOEIROS) Pelos aeroportos, nesta manhã: Afonso Pena, Curitiba: visibilidade reduzida a 300m Guarulhos, São Paulo: visibilidade reduzida a 500m Lauro Carneiro, Joinville: visibilidade reduzida a 200m hugo Cantergiani, Caxias do Sul: visibilidade reduzida a 350m (VENTO) Pelo INMET, ontem: Rio de Janeiro-Forte de Copacabana, RJ: 65,2km/h às 22 horas Caçapava do Sul, RS: 85,0 km/h às 22 horas Santa Vitoria do Palmar (Barra do Chuí), RS:78,1 km/h às 14 horas Dom Pedrito, RS:76,7 km/h às 20 horas São Gabriel, RS: 68,4 km/h às 21 horas Jaguarão, RS:66,6 km/h às 15 horas Petrópolis - Pico do Couto, RJ:65,9 km/h às 2 horas Resende, RJ: 63,0km/h às 21 horas Rio Grande, RS:62,3 km/h às 18 horas Teutonia, RS:61,2 km/h às 16 horas Laguna (Farol Santa Marta), SC:60,8km/h às 22 horas Canguçu, RS:58 km/h às 18 horas João Pinheiro, MG:58 km/h à 0 hora Bento Gonçalves, RS:57,6 km/h às 17 horas Juiz de Fora, MG:56,2 km/h às 15 horas Sao José dos Ausentes, RS:55,1 km/h às 20 horas Aeroportos, ontem: Porto Alegre, RS: 70,4km/h às 15h39 Rio de Janeiro (Santa Cruz), RJ:64,8km/h às 20 horas Pelo INMET, hoje: Gurupi, TO:59km/h à 0 hora (QUEIMADAS) De acordo com satélites de monitoramento de queimadas do INPE, observados pelo valor do satélite de referência AQUA-MT, só ontem (21), o Brasil foi responsável por 11 focos de queimada. Destes, 4 ocorreram no estado de Tocantins, 2 em Goiás, 1 na Bahia, Maranhão, Minas Gerais, São Paulo e Sergipe. (UMIDADE RELATIVA) Pelo INMET, ontem pelo menos 13 cidades registraram umidade relativa do ar igual ou abaixo de 30%. Destas: 1 cidade apresentou estado de emergência (abaixo dos 12%) 2 cidade entrou em estado de alerta (20 a 12%) 10 cidades em estado de atenção (21% a 30%) Calcanhar, RN:11%, estado de emergência; Uruguaiana, RS:18%, estado de alerta; Arapiraca, AL:20%, estado de alerta. (TEMPERATURA DESTA MANHÃ) Pelo INMET, às 08h: Itatiaia, RJ: 10,9°C, mesma sensação; Morro da Igreja, SC: 10,8°C, com sensação de 6,7°C; Campos do Jordão, SP: 14,5°C, com sensação de 13,9°C. (TEMPERATURA MÁXIMA) Pelo INMET, as maiores temperaturas registradas ontem: Rio de Janeiro-Forte de Copacabana, RJ:35,5°C Pão de Açúcar, AL:37,4°C Piranhas, AL:37,4°C Silva Jardim, RJ:36,1°C Floresta, PE:35,8°C Ibotirama, BA:35,5°C Itaobim, MG:35,5°C Menores temperaturas máximas do ano: Macapá, AP: 24,3°C Coxim,MS: 24,1°C Sonora, MS: 23,9°C Itiquira , MT: 34,1°C