NOTÍCIAS

VÍDEOS

Satélite

(SATÉLITE) Manhã de segunda-feira com muita chuva no litoral do Nordeste e na faixa norte do país. No Nordeste, a chuva está associada às ondas de leste, que são instabilidades que tem origem na costa da África e se propagam em direção à América, na região tropical do globo, cruzando o Oceano Atlântico. No Norte, é a combinação de calor e umidade. Esta é a época do ano em que mais chove em Roraima, Amapá e no litoral entre o Rio Grande do Norte e Sergipe. Do Pará ao Rio Grande do Sul, o tempo aberto predomina e as temperaturas seguem bem mais altas que a média para esta época do ano. Há instabilidades no Uruguai, bem próximas da fronteira com o estado gaúcho. (DESTAQUE PALMAS) Menor temperatura mínima do ano em Palmas-TO, com 18,9°C, passando o último recorde - que era de 19,6°C em 06 de junho de 2019. (DESTAQUE BOA VISTA) A Capital com mais chuva - de acordo com o INMET - nas últimas 12h foi Boa Vista (RR): 80mm. (CHUVA PERSISTE NO RECIFE) A chuva continua no Revife e mantém os transtornos neste começo de segunda-feira (17). Dados do CEMADEN indicam 84mm nas últimas 12h no bairro Torreão. As aulas foram suspensas na rede municipal da Capital, de Jaboatão dos Guararapes e de Olinda. Ainda há registro de alagamentos na Região Metropolitana. https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2019/06/17/chuva-no-grande-recife-alaga-ruas-e-suspende-aulas.ghtml https://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/educacao/noticia/2019/06/17/chuva-veja-instituicoes-que-suspenderam-aulas-no-grande-recife-381163.php (DESLIZAMENTOS EM JOÃO PESSOA-PB) Choveu mais de 100mm neste final de semana na Paraíba e em Pernambuco, devido às Ondas de Leste. Nos últimos 4 dias o acumulado passa dos 400mm na Paraíba, incluindo na capital. Em João Pessoa, capital da Paraíba, as chuvas registradas entre a noite do sábado (15) e a manhã de domingo (16) causaram transtornos. A barreira do Castelo Branco voltou a deslizar e interditou uma faixa da BR-230, no sentido João Pessoa - Cabedelo. Também houve deslizamento na encosta da Rua Desportista José Eduardo de Holanda, no Cabo Branco, e uma árvore caiu na Rua Bancário Wagner Alexandrino Bezerra Japyassu, nos Bancários. As apresentações culturais na Casa da Pólvora e no Parque da Lagoa foram canceladas por causa do alerta. O trecho da BR-230 onde houve o deslizamento foi interditado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) às 12h, para que a Defesa Civil faça a retirada do material oriundo da queda da barreira. O órgão orienta os motoristas a desviarem pela Avenida Pedro II. Desde a quinta-feira, 64 famílias estão desabrigadas ou desalojadas, sendo assistidas pela Prefeitura de João Pessoa. De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Noé Estrela, estas famílias são abrigadas em espaços públicos, como escolas, ou em associações de bairros. Duas cozinhas comunitárias estão à disposição destas pessoas. https://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2019/06/16/joao-pessoa-registra-quase-500-mm-de-chuvas-em-quatro-dias-diz-defesa-civil.ghtml (CHUVA 12H) Os maiores acumulados de chuva em 12h, de acordo com o CEMADEN: Recife, PE: 84mm Boa Vista, RR: 70mm Maceió, AL: 55mm Matriz De Camaragibe, AL: 83mm Cabo De Santo Agostinho, PE: 77mm Ipojuca, PE: 71mm Jaboatão Dos Guararapes, PE: 71mm Barreiros, PE: 70mm Joaquim Gomes, AL: 66mm Escada, PE: 65mm Guajará, AM: 60mm São Miguel Dos Campos, AL: 60mm Rio Formoso, PE: 59mm São José Da Coroa Grande, PE: 58mm Barra De São Miguel, AL: 57mm Maragogi, AL: 55mm Paulista, PE: 53mm Ribeirão, PE: 52mm Satuba, AL: 51mm Primavera, PE: 50mm Tamandaré, PE: 50mm (QUALIDADE DO AR EM SP) Segundo a CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), às 07h, a qualidade do ar já estava moderada em Paulínia, Santa Gertrudes e a região metropolitana de São Paulo. (CALOR CURITIBA) Pelos dados do Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba, no Paraná, o domingo (16) foi mais um dia de tempo firme, com máxima de 24°C. Já são 12 dias seguidos sem chuva significativa na capital do Paraná (desde o dia 4 de junho). Ontem, a máxima oficial de Curitiba foi de 25,9°C. Já são 4 dias seguidos em que as temperaturas passam de 25°C. (QUEIMADAS PARANÁ) O estado de Paraná esta com mais de 10 dias seguidos sem registrar chuva. Como é o caso da capital que esta com 12 dias e Foz do Iguaçu com 16 dias. O que contribui para o elevado número de queimadas em todo o estado, que chegou aos 102 neste mês, segundo os dados do satélite de referência (AQUA_M-T). E este é o maior valor desde dezembro do ano passado, quando registrou um total de 151 queimadas. http://www.inpe.br/queimadas/portal/estatistica_estados http://clima1.cptec.inpe.br/monitoramentobrasil/pt (QUEIMADAS SÃO PAULO) O estado de São Paulo vem enfrentando entre 10 e 30 dias seguidos sem chuva. Como é o caso da capital paulista que esta com 11 dias (desde o dia 05/06) e Franca com 29 dias sem cair uma gota sequer (desde o dia 18/05). Já em Ribeirão Preto faz 12 dias que não chove, assim como em Campinas. O que contribuiu para o elevado relato de número de queimadas em todo o estado. Segundo os dados do satélite de referência (AQUA_M-T), neste mês de junho foram observados 99 focos, este é o maior valor desde setembro do ano passado, quando registrou um total de 598 queimadas. http://www.inpe.br/queimadas/portal/estatistica_estados http://clima1.cptec.inpe.br/monitoramentobrasil/pt (CIDADES COM MAIS DIAS DE TEMPO SECO) Pelas estações automáticas do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) as cidades que estão mais dias sem chover são Guanambi, na Bahia, com 66 dias e em Afonso Cláudio, no Espírito Santo, com 65, observados até o final do dia 16 de junho. No geral, o centro do país há vários municípios com mais de 30 dias seguidos de tempo seco, que passa pelo Mato Grosso até o sul do Ceará e oeste baiano, conforme se pode observar na figura do site: http://clima1.cptec.inpe.br/monitoramentobrasil/pt Ainda pela estação automática do INMET, até ontem (16 de junho): Cuiabá-MT: 33 dias seguidos sem chuva Goiânia-GO: 29 dias seguidos sem chuva Campo Grande-MS: 23 dias seguidos sem chuva Palmas-TO: 22 dias seguidos sem chuva Teresina-PI: 16 dias seguidos sem chuva Florianópolis-SC: 13 dias seguidos sem chuva Belo Horizonte-MG: 12 dias seguidos sem chuva Brasilia-DF: 12 dias seguidos sem chuva Curitiba-PR: 12 dias seguidos sem chuva São Paulo-SP: 11 dias seguidos sem chuva Porto Alegre-RS: 7 dias seguidos sem chuva (GRANIZO NA ARGENTINA E INUNDAÇÃO NO URUGUAI) Houve fortes chuvas no Uruguai e a na Argentina, com direito a granizo de vários tamanhos e em grandes quantidades na região de Cañada de Gomez em especial, e também em Arequito e Rosário, todos localizados na província de Santa Fé, na Argentina entre a noite de sábado e a madrugada deste domingo (16). Além de inundações no Uruguai, precisamente na Florida, onde o rio Santa Lucia Chico alcançou os 9,34 metros acima da sua cota normal. O que é um dos picos históricos desse rio. O Comitê de Emergência do Departamento, deste mesma região do Uruguai, informou que mais de 60 pessoas foram evacuadas, devido ao transbordamento do rio. Além disso, o Rio Yí, no mesmo país, chegou aos 9,62 metros de altura. Segundo o Instituto Uruguaio de Meteorologia informou que nas últimas 24 horas, em algumas partes do país caiu entre 144 e 193 milímetros de chuva. As regiões da Flórida, Canelones, Durazno e Maldonado são os mais afetados pelos transbordamentos dos rios e córregos. E com isso já são pelo menos 90 pessoas no total que tiveram que sair de suas casas em todo o Uruguai. https://www.subrayado.com.uy/al-menos-90-personas-evacuadas-todo-el-pais-fuertes-lluvias-n536477 Esses temporais aconteceram pela passagem de uma frente fria, uma área de baixa pressão atmosférica na Argentina e principalmente por um cavado nessa região (que é causado pela ondulações atmosféricas à mais de 10 km de altura, onde relativamente há uma região alongada de uma relativa baixa pressão. E o termo relativa se deve as linhas de pressão (isóbaras) que ainda não se fecham). Instituto Uruguaio de Meteorologia, entre às 07 horas de sábado e às 07 horas de Domingo (16): Florida, Uruguai: 193mm Durazno, Uruguai: 180mm Flores, Uruguai:170mm https://twitter.com/MeteorologiaUy/status/1140299600273780736 https://twitter.com/MeteorologiaUy/status/1140294113893474304 Segundo os dados da Organização Mundial da Meteorologia, OMM, obtidos pelo site da Ogimet, os acumulados somados dos dias 15 e 16/06, contados às 15h (hora de Brasília) do dia 16 de junho foram: Mercedes, Uruguai: 103mm Aeroporto em Buenos Aires, Argentina: 80,5mm Colonia, Uruguai: 74mm Concórdia, Argentina: 68mm Já pelo Serviço Meteorológico Nacional da Argentina, entre às 09h de sábado (15) e às 09h do domingo (16): Buenos Aires: 50mm Morón: 51mm El Palomar: 49mm Aeroparque: 46mm Concórdia: 35mm https://www.smn.gob.ar/observaciones https://twitter.com/SMN_Argentina/status/1140268065655009281 GRANIZO ARGENTINA -Granizo na madrugada do dia 16 de junho ao arredores de Buenos Aires, Argentina: https://twitter.com/Tiempo_CABA/status/1140292545257381893 -Cañada de Gómez (província de Santa Fé, na Argentina) https://twitter.com/MauCda/status/1140117497498218496 -Cañada de Gómez (província de Santa Fé, na Argentina) https://twitter.com/TDLtiempo/status/1140117063392006144 -Granizo na zona de Santa Fé (Argentina) https://twitter.com/Estacion_bcp/status/1140132711652384768 -Granizo: Santa Fé, Cañada de Gómez, Argentina https://www.cadena3.com/noticias/sociedad/una-fuerte-pedrea-azoto-localidad-canada-gomez_141614 https://www.rosario3.com/informaciongeneral/Imagenes-sorprendentes-sobre-llovido-granizo-como-si-nevara-en-la-region-20190616-0017.html https://twitter.com/MetRAnoticias/status/1140117735478837248 -Arequito, Santa Fe, Argentina https://twitter.com/Luciano434/status/1140124602871496704 -Rosário , província de Santa Fé, Argentina https://twitter.com/Luciano434/status/1140112032840204289 -Santa Fé, Cañada de Gómez, Argentina https://twitter.com/Luciano434/status/1140113583948345345 - santa fé, granizo https://twitter.com/DaniVilla66/status/1140316620398747649 Resultado da queda de energia https://twitter.com/ClimaRosarioAr/status/1140222861786918915 ALAGAMENTOS E RIO TRANSBORDADO NO URUGUAI https://twitter.com/Estacion_bcp/status/1140418465850937349 -Na região de Florida, no Uruguai, o rio Santa Lucia Chico alcançou os 9,34 m acima da sua cota - Pico Histórico. O córrego Tomás González também continua aumentando seu nível dentro da cidade. https://twitter.com/Estacion_bcp/status/1140377704644120582 https://twitter.com/Estacion_bcp/status/1140376635629289472 -Inundações no Uruguai na região do Norte de Rocha https://twitter.com/Estacion_bcp/status/1140368977107046400 -Alagamentos na Florida, Uruguai https://twitter.com/Estacion_bcp/status/1140357657250934784 https://twitter.com/Estacion_bcp/status/1140368545441898496 -O Comitê de Emergência do Departamento informou que 60 pessoas foram evacuadas, devido ao transbordamento do rio na Florida, do Uruguai. https://www.cw33florida.com.uy/index.php/locales/ultimas-noticias/26754-importante-creciente-del-rio-santa-lucia-chico-deja-varias-casas-bajo-agua-y-decenas-de-personas-evacuadas - Rio Yí chegou aos 9,62 metros https://twitter.com/Estacion_bcp/status/1140399197709094917 -Uruguai (14 de junho) https://twitter.com/Estacion_bcp/status/1139725523167383552 BLECAUTE NA ARGENTINA E NO URUGUAI Nota: este blecaute NÃO deve ter sido causado pelas tempestades nos dois países. Enorme falha elétrica na Argentina e o Uruguai deixou grandes partes dos dois países sem eletricidade. A imprensa argentina disse que o corte de energia ocorreu logo após as 07:00 (10: 00GMT), fazendo com que os trens parassem e falhassem com a sinalização de trânsito. A paralisação ocorreu quando as pessoas na Argentina se preparavam para ir às urnas para as eleições locais, atrasando a votação em várias províncias regionais. Parte do Paraguai também foi afetada. O ministro da Energia da Argentina, Gustavo Lopetegui, insistiu que o sistema elétrico do país era "muito robusto", mas acrescentou que a causa exata desse atual caso não era clara. "No momento, não descartamos nenhuma possibilidade. Mas não achamos que seja um ataque cibernético". Ou seja, as causas ainda são desconhecidas e estão sendo investigadas. Fonte: https://www.bbc.com/news/world-latin-america-48652686 https://twitter.com/OficialEdesur/status/1140210181382578178 (TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE DO MAR) A superfície do mar próximo da Argentina e o Uruguai estão com anomalias altas de temperatura, entre 1 a 3°C acima do normal, o que ajudou a intensificar as instabilidades nesses países neste final de semana. Aliás, há pontos um pouquinho mais afastados da América do Sul que a anomalia chega a ficar acima dos 3°C. https://www.cpc.ncep.noaa.gov/products/international/oisst/oisst_7day_atl_anom.gif (TEMPORAIS NA EUROPA) Entre os dias 15 e 16 de junho a França também teve relatos de chuvas intensas, com queda de granizo e rajadas de vento de mais de 100km/h. A tempestade foi tão forte que causou a morte de 1 pessoa na cidade de Taninges, departamento de Haute-Savoie na região de Auvergne-Rhône-Alpes, depois que uma árvore caiu em um trailer em que ela estava. Outro detalhe é que as pedras de gelo que caíram era do tamanho de bolas de golfe. Agricultor de Drome no sul de Lyon, também na França, teve as colheitas de damascos, pêssegos e cereja destruídas. O ministro da Agricultura, Didier Guillaume, disse que o estado declararia uma emergência natural para acionar pagamentos de seguros e outras formas de ajuda aos agricultores que enfrentam enormes perdas. Os granizos quebraram pára-brisas de carros, danificaram casas e derrubaram árvores, além de deixar 2 mil casas sem energia elétrica neste domingo (16). Tempestades severas também atingiram outras partes da Europa, incluindo a Suíça, onde uma mulher morreu depois que seu barco virou no lago de Genebra. E danificou 465 barcos que participam de uma regata anual no lago. Fonte: https://watchers.news/2019/06/16/violent-hailstorms-batter-france-catastrophic-agricultural-damage-reported/ https://twitter.com/CCChrispic/status/1139871581407207426 https://twitter.com/loicspadafora/status/1140227673370824704 https://twitter.com/RahulMetreau/status/1139980609999134721 https://twitter.com/AFP/status/1140269297157021696 https://twitter.com/RahulMetreau/status/1139980999398449152 https://twitter.com/Cosanos71037091/status/1139993338642423808 https://www.theguardian.com/world/2019/jun/16/france-to-declare-natural-disaster-after-storms-rip-through-crops (NESTE MÊS A EUROPA JÁ REGISTRA 668 QUEDAS DE GRANDES GRANIZOS - ISSO JÁ É BEM MAIS DO QUE SE OBSERVOU EM JUNHO DE 2018) Segundo a "European Severe Weather Database - ESWD", neste mês de junho foram um total de 668 registros de queda de grandes granizos na região da Europa. Bem mais alto do que o observado no ano passado, quando foram um total de 518 em todo o mês de junho de 2018. Mas, nada se comparada aos 808 relatos de queda de granizo grande em toda a Europa em junho de 2017. https://www.eswd.eu/cgi-bin/eswd.cgi https://twitter.com/essl_ecss (BALANÇO DAS CHUVAS DO INÍCIO DE JUNHO) Pelas estações oficiais do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), ainda são 6 capitais no Brasil com acumulados acima da média histórica, na Região Nordeste devido as chuvas constantes dos últimos dias, que causaram vários deslizamentos e até mortes, já nas Regiões Centro-Oeste e Sudeste as climatologias são muito baixas neste período, por isso foi facilmente ultrapassado. - João Pessoa, PB, acumulou bastante nesta 16 dias de junho, sendo a capital no país com maior registro de volume de água neste período, até o momento. A capital da Paraíba registra agora 505,4mm na estação oficial do INMET. Que já está 42,3% acima da sua climatologia (355,2mm). E tem mais destaque, com esse valor já apresenta o junho mais chuvoso em 7 anos, ou seja desde 2012 quando registrou 538,1mm de chuva em junho desse ano. Pois, passou os 108,9mm em 06/2018, os 328,1mm em 06/2017, os 254,7mm em 06/2016, os 343,2mm em 06/2015, os 256,3mm em 06/2014, e os 493,5mm de 06/2013. É importante lembrar que o junho mais chuvoso da história ocorreu em 1965, quando precipitou um total de 731mm. Outro destaque foram os 182,4mm no dia 14, que foi o mais alto volume de chuva em 24 horas deste ano e até o dia 30 de maio de 1996 na capital da paraíba (quando registrou 186mm). E o dia mais chuvoso de todos foi em 18 de junho de 1986, quando relatou 194mm. Além disso, o dia 14/06/2019 foi também o segundo dia mais chuvoso em um mês de junho da sua história, desde 1960. Salienta-se que, pela a Organização Mundial de Meteorologia (OMM), os valores diários são computados como totais acumulados ao longo do dia. Para a chuva, as medidas são realizadas às 12 UTC (9 horas de Brasília, no horário padrão ou, 10 horas, durante o horário de verão). Assim, por exemplo, o valor de chuva associado ao dia de hoje corresponderá ao total de chuva acumulada desde as 12 UTC de ontem, até as 12 UTC de hoje. - Fortaleza-CE acumula um total de 199,8mm nestes 16 primeiros dias de junho, pela estação oficial do INMET. Isso é 30,0% acima da sua climatologia do mês (153,7mm). Além disso, esse valor faz com que este junho seja o mais chuvoso em 6 anos na capital do Ceará, desde 2013 quando acumulou um total de 217,9mm. Passando os 51,2mm em 06/2018, os 48mm em 06/2017, os 30,3mm em 06/2016, os 66,2mm em 06/2015, e os 56mm em 06/2014. - Rio Branco acumula 67,1mm neste mês, sendo 104,6% acima da sua média (32,8mm) - mais do que o dobro da sua climatologia de junho. Aliás, tem mais destaque, pois este mês já tem o junho mais chuvoso em 6 anos. Passou os 26,7mm de 06/2018, os 25,4mm em 06/2017, os 2mm em 06/2016, os 57,5mm em 06/2015, e os 35,3mm em 06/2014. Mas, ficou atrás 138,1mm em junho de 2013. - São Luís, MA, registrou 183,7mm de chuva neste mês, o que é 0,2% acima da sua média histórica (183,4mm). Além disso, tem o junho mais chuvoso dos últimos 5 anos, desde 2014 quando em junho acumulou 185,5mm. Ultrapassou os 106,3mm em 06/2018, os 120,6mm em 06/2017, os 133,4mm em 06/2016 e os 106,7mm em 06/2015. - Belo Horizonte acumula 12,1mm nesta primeira quinzena de junho, ficando 24,7% acima da média histórica (9,7mm). Sendo este valor, por incrível que pareça, o maior volume de chuva, para um mês de junho, em 2 anos. Passou o 0mm de 06/2018, e ficou, até este instante, atrás dos 19,8mm em 06/2017. - Brasília acumula 6,9mm neste mês, ficando 40,8% acima da sua climatologia (4,9mm). Isto é o maior volume de chuva em junho desde 2014, quando registrou 9,9mm. Passando os junhos de 2018, 2017, 2016 e 2015 que não registraram chuva nenhuma (0mm). Ou seja, este junho é o com o maior volume em 5 anos. Já as capitais que mais choveram neste junho, no país, foram em: - Recife-PE registrou em 24 horas 147,2mm, observados no dia 14 de junho, sendo o mais alto volume de chuva desde 18 de junho de 2010, quando relatou 149,7mm. Agora, olhando o mês no geral, foram 254,7mm nestes 16 dias do mês, isso é mais da metade de sua climatologia (391,1mm). Sendo também o junho mais chuvoso desde 2017, quando acumulou 489mm. - Boa Vista, RR, com 285,4mm pela estação oficial do INMET, que é mais da metade de sua climatologia de junho (353,2mm). - Em Aracaju, SE, pela estação do CEMADEN, foram um total de 292,2mm. Ficando 41,0% acima da sua climatologia (207,2mm). Salienta-se que pela estação oficial do INMET, foram um total de 165,3mm. - Em Salvador, BA, foram um total de 209,6mm neste mês de junho, pela estação do CEMADEN. E esse valor faz com que só falte 14,6% para chegar da sua média histórica (245,6mm). Já pela estação oficial do INMET foram registrados, neste mesmo período, 123,5mm. - Macapá, AP, nestes primeiros 16 dias de junho precipitou 231,2mm pelos dados da estação oficial do INMET, que é quase a sua média climatológica do mês (244,7mm). - Pela estação do CEMADEN, na estação Tarumã, em Manaus, na capital do Amazonas, já choveu 110,0mm neste mês, que é quase a sua climatologia toda de junho (118,3mm). E tem mais, com a chuva nessa cidade, como no norte do Amazonas ajudou ao nível do rio negro a subir 0,37 metros neste mês, pois passou os 28,97% do dia 1 de junho para os 29,34 metros do dia 14 de junho. É importante lembrar que se decreta Situação de Emergência quando o rio atinge a cota igual ou maior de 29 metros. Atenção: Pois a cota de ontem é ainda a mais alta desde 2015, segundo dados do Porto de Manaus. Precisamente desde o dia 29/06/2015, há 4 anos atrás, quando o nível do rio Negro chegou aos 29,66 metros. Reforça ainda que a maior cheia da sua história foi em 29 de maio de 2012, quando nível do rio alcançou os 29,97 metros, a maior desde que começou a se coletar os dados, em 1902. https://www.portodemanaus.com.br/?pagina=nivel-do-rio-negro-hoje